Economia

Dívida Pública Federal fecha agosto em quase R$ 6 trilhões, diz Tesouro Nacional

Em julho, o estoque estava em R$ 5,804 trilhões

A DPF inclui a dívida interna e externa (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

A DPF inclui a dívida interna e externa (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 28 de setembro de 2022 às 16h49.

O estoque da Dívida Pública Federal (DPF) caiu 0,40% em agosto e fechou o mês em R$ 5,781 trilhões. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira, 28, pelo Tesouro Nacional. Em julho, o estoque estava em R$ 5,804 trilhões.

A correção de juros no estoque da DPF foi de R$ 33,60 bilhões no mês passado, enquanto houve um resgate líquido de R$ 56,62 bilhões.

A DPF inclui a dívida interna e externa. A Dívida Pública Mobiliária Federal interna (DPMFi) retraiu 0,42% em agosto e fechou o mês em R$ 5,535 trilhões. Já a Dívida Pública Federal externa (DPFe) ficou 0,02% maior no mês, somando R$ 245,85 bilhões ao fim de agosto.

Parcela atrelada à Selic

Em meio à alta da taxa básica de juros, a parcela de títulos da DPF atrelados à Selic voltou a subir em agosto, para 39,16%. Em julho, estava em 37,77%. Já os papéis prefixados aumentaram a fatia de 25,75% para 27,06%.

Os títulos remunerados pela inflação reduziram para 29,28% do estoque da DPF em agosto, ante 31,99% em julho. Os papéis cambiais oscilaram a participação na DPF de 4,49% para 4,50% no mês passado.

Doze meses

O Tesouro informou ainda que parcela da DPF a vencer em 12 meses apresentou queda, passando de 24,61% em julho para 21,92% em agosto.

O prazo médio da dívida teve alta de 3,90 anos para 3,96 anos na mesma comparação.

Já o custo médio acumulado em 12 meses da DPF caiu de 10,76% ao ano para 10,63% a.a. no mês passado.

Participações

A participação dos investidores estrangeiros no total da Dívida Pública caiu em agosto. De acordo com dados divulgados pelo Tesouro Nacional, a parcela dos investidores não residentes no Brasil no estoque da DPMFi passou de 9,01% em julho para 8,84% no mês passado.

No fim de 2020, a fatia estava em 9,24%, chegando a 10,56% em dezembro do ano passado. O estoque de papéis nas mãos dos estrangeiros somou R$ 489,49 bilhões em agosto, ante R$ 500,76 bilhões em julho.

A maior participação no estoque da DPMFi continuou com as instituições financeiras, com 30,22% em agosto, ante 29,57% em julho. A parcela dos fundos de investimentos passou de 24,37% para 24,59% em no mês passado.

Na sequência, o grupo Previdência passou de uma participação de 22,59% para 22,21% de um mês para o outro. Já as seguradoras passaram de 3,91% para 3,96% na mesma comparação.

Veja também: 

Banco Mundial prevê que China vai crescer só 2,8% este ano, metade da meta do PC chinês

Guedes diz que Selic é 'freio de mão puxado' e PIB só cresce 2,70%, 3%

Acompanhe tudo sobre:Dívida públicaGovernoTesouro Nacional

Mais de Economia

STF retoma hoje julgamento de ações que questionam pontos da Reforma da Previdência de 2019

Exclusivo: Sky fecha parceria com Amazon para vender internet por satélite no Brasil

STF decide que Receita não pode cobrar tributação do terço de férias antes de agosto de 2020

Mais na Exame