Banco Mundial prevê que China vai crescer só 2,8% este ano, metade da meta do PC chinês

Pela primeira vez desde 1991, país terá expansão inferior ao restante da Ásia
A estimativa do Banco Mundial é que a economia asiática avance 3,2% em 2022, após ter crescido 7,2% no ano passado (SOPA Images / Colaborador/Getty Images)
A estimativa do Banco Mundial é que a economia asiática avance 3,2% em 2022, após ter crescido 7,2% no ano passado (SOPA Images / Colaborador/Getty Images)
A
Agência O GloboPublicado em 27/09/2022 às 13:40.

O Banco Mundial reduziu sua projeção para o crescimento do PIB da China este ano para apenas 2,8%, bem abaixo dos 8,1% de 2021 e num ritmo de quase metade da meta estipulada pelo Partido Comunista chinês, que era de 5,5%.

Pela primeira vez desde 1991 – ou seja, desde a abertura econômica da China – o país vai crescer menos do que seus vizinhos na Ásia.

  • Quer saber tudo sobre a política internacional? Assine a EXAME por menos de R$ 11/mês e fique por dentro.

A estimativa do Banco Mundial é que a economia asiática avance 3,2% em 2022, após ter crescido 7,2% no ano passado.

Bancos e consultorias têm ficado cada vez mais pessimistas com o desempenho da economia chinesa este ano, diante de lockdowns sucessivos para conter a pandemia do Covid, e do colapso do mercado imobiliário provocado por um alto nível de endividamento de grandes construtoras. A construção civil responde por 30% da atividade econômica na China.

Constrangimento para Xi Jinping

A alta do dólar frente a diversas moedas globais, inclusive o yuan chinês, também impõe desafios adicionais à China, já que pressiona a inflação local em meio a um aperto no consumo dos chineses.

Além disso, o baixo crescimento cria um constrangimento político para o presidente Xi Jinping, que deve tentar um inédito terceiro mandato como líder do Partido Comunista em outubro. Analistas acreditam que a era de forte crescimento econômico iniciada após as reformas de Deng Xiaoping nos anos 1980 pode estar perto do fim.

Veja, abaixo, as previsões do Banco Mundial

Em 2022

China: 2,8%

Indonésia: 5,1%

Malásia: 6,4%

Filipinas: 6,5%

Tailândia: 3,1%

Vietnã: 7,2%

Em 2023

China: 4,5%

Indonésia: 5,1%

Malásia: 4,2%

Filipinas: 5,8%

Tailândia: 4,1%

Vietnã: 6,7%

Veja também: 

Brasil tem deflação de -0,37% na prévia de setembro e acumulado vai a 7,96%

Guedes diz que Selic é 'freio de mão puxado' e PIB só cresce 2,70%, 3%