Desemprego no Reino Unido registra aumento trimestral

A alta é a maior em quase dois anos

Londres - O desemprego no Reino Unido subiu em 80 mil pessoas entre maio e julho de 2011, alcançando o total de 2,51 milhões de desempregados, o maior aumento trimestral em quase dois anos, informou nesta quarta-feira o Escritório Nacional de Estatísticas (ONS, na sigla em inglês).

O número, que compreende tanto os que se beneficiam do seguro-desemprego como os que não, equivale a 7,9% da força de trabalho do país, acrescentou a fonte.

O número de beneficiados pelo seguro-desemprego aumentou em 20.300 pessoas em agosto, ao total de 1,58 milhão, segundo a ONS.

Entre os jovens de 18 a 24 anos de idade, o desemprego aumentou em 77 mil pessoas, até 769 mil, enquanto a renda média dos trabalhadores cresceu 2,8% entre os meses de maio e julho, informou a fonte.

O ministro do Trabalho, Chris Grayling, manifestou hoje seu pesar pela perda de postos de trabalho, especialmente no setor público.

"A realidade é que estamos tomando decisões duras e difíceis. São decisões que não queremos tomar, mas se não as tomarmos vamos terminar na mesma situação de outros países, que pediram muitíssimo dinheiro", disse Grayling, referindo-se aos países europeus com alta dívida e aos cortes no setor público para fazer frente à crise.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.