Economia

Comissão aprova projeto que regulamenta cobrança do Fust

Brasília - A Comissão de Ciência, Tecnologia, Comunicação e Informática (CCTI) do Senado aprovou nesta quarta-feira, 23, em caráter terminativo, projeto de lei que estabelece a competência da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para arrecadar o Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust) - contribuição devida pelas concessionárias de telefonia. O projeto também reafirma […]

EXAME.com (EXAME.com)

EXAME.com (EXAME.com)

DR

Da Redação

Publicado em 10 de outubro de 2010 às 03h45.

Brasília - A Comissão de Ciência, Tecnologia, Comunicação e Informática (CCTI) do Senado aprovou nesta quarta-feira, 23, em caráter terminativo, projeto de lei que estabelece a competência da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para arrecadar o Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust) - contribuição devida pelas concessionárias de telefonia. O projeto também reafirma a competência do órgão para aplicar sanções aos inadimplentes.

De autoria do senador Renato Casagrande (PSB-ES), o projeto acrescenta à lei do Fust (Lei 9.998/00), dispositivo formalizando a competência da Anatel para arrecadar o tributo.

O objetivo da proposta é transformar em lei a regra de cobrança da contribuição, atualmente prevista no Decreto 3.624/00, que regulamenta o Fust. A preocupação do socialista foi imprimir caráter de norma tributária e força de lei à regra.

A regra de cobrança do Fust não sofre alterações: as prestadoras de serviços de telefonia continuam obrigadas a contribuir com 1% sobre a receita operacional bruta de cada mês. Somente no ano passado, a Anatel arrecadou R$ 1,436 bilhão com o Fust. O total acumulado a partir de 1997 alcança R$ 8,7 bilhões. O projeto depende ainda de votação na Câmara para ser encaminhado à sanção.

Acompanhe tudo sobre:LegislaçãoTaxasTelecomunicações

Mais de Economia

Repasses federais ao RS poderão ser consultados na internet

Argentina entra em recessão técnica após PIB cair 5,1% em meio a medidas de Milei

Lula e Fernando Henrique se encontram em São Paulo

INSS: dados de milhões de beneficiários ficam expostos depois de múltiplos acessos suspeitos

Mais na Exame