Economia

China promete intensificar supervisão do mercado de minério de ferro após salto nos preços

Anúncio veio após recentes saltos nos preços do minério

Reguladores pediram às empresas que não exagerem nos aumentos de preços ou façam estoques de minério (Peng Song/Getty Images)

Reguladores pediram às empresas que não exagerem nos aumentos de preços ou façam estoques de minério (Peng Song/Getty Images)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 23 de novembro de 2023 às 09h38.

Última atualização em 23 de novembro de 2023 às 09h43.

Órgãos regulatórios na China prometeram intensificar a supervisão do mercado de minério de ferro local e alertaram operadores a não especular ou impulsionar os preços da commodity segundo comunicado conjunto divulgado nesta quinta-feira, 23. O anúncio veio após recentes saltos nos preços do minério.

A Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma (CNDR), principal órgão de planejamento chinês, afirmou que os reguladores se reuniram com alguns operadores de minério de ferro e empresas do mercado de futuros.

Reguladores

Reguladores pediram às empresas que não exagerem nos aumentos de preços ou façam estoques de minério. Elas também foram orientadas a não fazer movimentos especulativos ou manipular o mercado futuro, de acordo com o comunicado. Não há detalhes sobre as empresas que participaram da reunião.

Ainda segundo o comunicado, a CNDR e outros reguladores - a Administração Estatal de Regulamentação do Mercado e a Comissão Reguladora de Valores Mobiliários da China - irão acompanhar o mercado de perto e reprimir eventuais violações.

Após o comunicado, o contrato futuro de minério de ferro mais negociado na Bolsa de Commodities de Dalian passou a cair e, por volta das 2h55 (de Brasília), era negociado a 970 yuans (US$ 135 56), com queda de 1,5%.

Acompanhe tudo sobre:Chinaeconomia-internacionalMinério de ferro

Mais de Economia

Temporada de resultados nos EUA: o que explica o otimismo do mercado?

Boletim Focus: mercado eleva projeções do IPCA para 2024, 2025 e 2026

Cigarro pode ser taxado em 250% e cerveja em 46%, estima banco

Cade analisa se parceria entre Gol e Azul precisa ser submetida ao órgão

Mais na Exame