Economia

Brasil foi 2º maior receptor global de investimento estrangeiro direto em 2023, aponta OCDE

País recebeu US$ 64 bilhões em FDI no ano passado, ante US$ 73 bilhões em 2022

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 30 de abril de 2024 às 14h21.

Última atualização em 30 de abril de 2024 às 14h29.

O Brasil foi o segundo maior receptor global de investimento estrangeiro direto (FDI, na sigla em inglês) em termos líquidos em 2023, atrás apenas dos Estados Unidos, segundo dados da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). O país recebeu US$ 64 bilhões em FDI no ano passado, ante US$ 73 bilhões em 2022.

A China teve fluxos historicamente baixos e perdeu posições no ranking, no contexto de "tensões geopolíticas contínuas e altas taxas de juro", conforme comunicado da OCDE publicado nesta terça-feira, 30.

A nível global, os fluxos de FDI diminuíram 7% em 2023, a US$ 1,364 trilhão, "continuando em tendência de queda e permanecendo abaixo dos níveis pré-pandemia pelo segundo ano consecutivo", disse a OCDE.

Apenas fora da OCDE, os fluxos recuaram 46%.

Acompanhe tudo sobre:Rio de JaneiroInvestimentos de empresasOCDE

Mais de Economia

Plano Real, 30 anos: Carolina Barros, do BC, e a jornada do Real ao Pix

Plano Real, 30 anos: dinheiro ainda é base de transações, mas 41% dos brasileiros preferem Pix

STF tem maioria para alterar Reforma da Previdência: veja o que pode mudar para servidores públicos

Copom: em decisão unânime, BC mantém Selic em 10,5% e põe fim ao ciclo de cortes

Mais na Exame