Biden e G7 revogam status de "Nação mais Favorecida" da Rússia

A retirada do status abrirá caminho para que os Estados Unidos e seus aliados imponham tarifas a uma ampla gama de produtos russos
 (Sputnik/Aleksey Nikolskyi/Kremlin/Reuters)
(Sputnik/Aleksey Nikolskyi/Kremlin/Reuters)
Por ReutersPublicado em 11/03/2022 14:59 | Última atualização em 11/03/2022 14:59Tempo de Leitura: 1 min de leitura

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse nesta sexta-feira que o G7 revogará o status comercial de "Nação mais Favorecida" dado à Rússia e anunciou uma proibição norte-americana de frutos do mar, álcool e diamantes russos, na mais recente das medidas para punir Moscou por sua invasão da Ucrânia.

Em um comunicado separado, a Casa Branca disse que Biden proibiria o investimento dos EUA na Rússia, exceto no setor de energia. O presidente também afirmou que os países do G7 pretendem bloquear a Rússia de recursos do Fundo Monetário Internacional e do Banco Mundial.

Quer saber tudo sobre a política internacional? Assine a EXAME e fique por dentro.

A retirada do status abrirá caminho para que os Estados Unidos e seus aliados imponham tarifas a uma ampla gama de produtos russos, aumentando a pressão sobre uma economia que já está à beira de uma profunda recessão.

Nos EUA, remover o status de "Relações Comerciais Normais Permanentes" da Rússia exigirá a aprovação do Congresso, mas parlamentares da Câmara e do Senado --e de ambos os lados do espectro político-- já sinalizaram seu apoio.