Economia

Balança comercial tem superávit de US$ 7,483 bilhões em março

Na última semana de março, o superávit foi de US$ 1 987 bilhão, com vendas de US$ 6,095 bilhões e compras de US$ 4 108 bilhões

Balança Comercial: foi registrado superávit comercial de US$ 7,483 bilhões em março (Jorg Greuel/Getty Images)

Balança Comercial: foi registrado superávit comercial de US$ 7,483 bilhões em março (Jorg Greuel/Getty Images)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 4 de abril de 2024 às 16h29.

Última atualização em 4 de abril de 2024 às 16h30.

A balança comercial brasileira registrou superávit comercial de US$ 7,483 bilhões em março. De acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC) divulgados nesta quinta-feira, 4, o valor foi alcançado com exportações de US$ 27,980 bilhões e importações de US$ 20,498 bilhões.

Na última semana de março (25 a 31), o superávit foi de US$ 1 987 bilhão, com vendas de US$ 6,095 bilhões e compras de US$ 4 108 bilhões.

O resultado de março veio acima da mediana apontada na pesquisa do Projeções Broadcast, de US$ 6,950 bilhões, com expectativas que iam de US$ 6,0 bilhões a US$ 8,0 bilhões.

No mês, as exportações registraram queda de 14,8% na comparação com igual período em 2023, devido ao recuo de US$ 1,87 bilhão (-20,8%) em Agropecuária; queda de US$ 2,01 bilhões (-23,9%) em Indústria Extrativa e redução de US$ 950 milhões (-6,2%) em produtos da Indústria de Transformação.

As importações também tiveram queda, de 7,1%, em março, ante igual mês do ano passado, com crescimento de US$ 40 milhões (10 4%) em Agropecuária; recuo de US$ 30 milhões (-2,1%) em Indústria Extrativa e redução de US$ 1,56 bilhão (-7,8%) em produtos da Indústria de Transformação.

Acompanhe tudo sobre:Balança comercialExportaçõesGoverno Lula

Mais de Economia

Em 4 anos, rotas de integração vão ligar Brasil à Ásia, prevê Tebet

Anatel poderá retirar do ar sites de e-commerce por venda de celulares irregulares

Carteira assinada avança, e número de trabalhadores por conta própria com CNPJ recua

Em 2023, emprego foi recorde e número de trabalhadores com ensino superior chegou a 23,1%

Mais na Exame