Economia

Aneel aprova reajuste médio de 7,32% nas tarifas da Cemig

A mudança varia de acordo com o tipo de consumidor; aqueles atendidos em alta tensão, terão um custo 8,63% maior e para os de baixa tensão, 6,72%

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 21 de maio de 2024 às 12h43.

Última atualização em 21 de maio de 2024 às 13h06.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira, 21, um reajuste médio de 7,32% para as tarifas dos consumidores atendidos pela Cemig Distribuição S.A. Os novos valores passam a valer a partir de hoje. 

O efeito é diferente para cada classe de consumo. Para consumidores atendidos em alta tensão, como as indústrias, o impacto médio será de 8,63%. Já para os conectados em baixa tensão, como os residenciais, o aumento será de 6,72%.

Segundo o relatório, a variação dos custos de encargos transmissão e energia tiveram efeito de 0,81%, enquanto a variação de custos de transmissão foram responsáveis por impacto de 1,27%.

Acompanhe tudo sobre:AneelCemigEnergia

Mais de Economia

Em 4 anos, rotas de integração vão ligar Brasil à Ásia, prevê Tebet

Anatel poderá retirar do ar sites de e-commerce por venda de celulares irregulares

Carteira assinada avança, e número de trabalhadores por conta própria com CNPJ recua

Em 2023, emprego foi recorde e número de trabalhadores com ensino superior chegou a 23,1%

Mais na Exame