Site calcula tempo necessário para contrair covid-19 em ambientes fechados

Desenvolvido por pesquisadores do MIT, ferramenta considera comportamento humano e tamanho do ambiente para realizar o cálculo

Pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), nos Estados Unidos, desenvolveram uma forma de calcular o tempo necessário para que uma pessoa transmita o novo coronavírus para outro indivíduo. Através de um modelo matemático complexo, um site criado pelos pesquisadores John Bush e Martin Z. Bazant simula a dinâmica das gotículas respiratórias carregadas de vírus em qualquer espaço, desde a cozinha da sua casa até uma casa de show.

O site criado parte do princípio de que apenas um indivíduo no ambiente está infectado com o novo coronavírus. A partir de uma série de informações como tipo de ambiente, tamanho, umidade local, número de pessoas, o algoritmo realiza o cálculo de tempo. As variáveis ​​ainda incluem detalhes sobre o comportamento humano como o tipo de máscara, o jeito em que o acessório está sendo utilizado, se as pessoas estão conversando umas com as outras, entre outros pontos.

De primeira, as opções disponíveis podem parecer como muita informação. Mas, a ferramenta fornece uma resposta muito clara de quanto tempo as pessoas podem ficar juntas em um espaço de forma segura. Trocar a máscara de algodão por uma cirúrgica, por exemplo, traz uma diferença de duas horas a mais de segurança. Mas se o uso for feito de forma inadequada, o tempo pode cair para 32 minutos.

Segundo os cientistas, em qualquer ambiente fechado, existem gotículas microscópicas que podem flutuar pelo ar livremente. Portanto, caso uma pessoa esteja a uma distância de até dois metros de outra, há um risco de contágio do vírus Sars-CoV-2. Por este motivo, Bush diz que o distanciamento de 2 metros recomendado em lugares públicos é uma regra "perigosa" e "excessivamente simplista".

Em uma simulação realizada com um grupo de 10 pessoas que foram jantar em um ambiente de seis metros quadrados, o tempo necessário para que o contágio fosse realizado foi de apenas 18 minutos. Isso porque o site considerou, a partir de respostas preenchidas na plataforma, que os convidados estavam conversando livremente e sem o uso de máscaras.

Se não tivesse acontecido nenhum jantar e as pessoas ficassem a noite toda com máscaras de algodão, os cálculos mostram que o tempo de segurança seria acrescido em mais 2 minutos. Com as janelas abertas, o contágio ainda atrasaria outros 6 minutos. Já  troca da máscara de algodão pela de material cirúrgico, como exemplificado acima, acarretaria a redução do tempo.

Bush conclui que o uso da máscara é essencial. A justificativa é de que a ausência do item gerou o resultado mais drástico percebido durante o desenvolvimento do algoritmo. No entanto, o cientista ressalta que as máscaras não transformam qualquer espaço em um lugar seguro.

Como toda simulação, o site oferece apenas a melhor estimativa e não pode garantir sua segurança em nenhuma situação. Na vida real, o número de pessoas contaminadas em qualquer ambiente pode ser bem maior do que um. Mas, para quem está planejando encontrar amigos ou família nas festas de final de ano, vale a pena o teste.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.