Acompanhe:

O gelo marinho na Antártica registrou queda recorde em fevereiro pelo segundo ano consecutivo, como tem acontecido por uma década, informou o observatório europeu do clima Copernicus.

A área de gelo do oceano ao redor do continente antártico tinha superfície de 2,09 milhões de quilômetros quadrados em 16 de fevereiro, o menor nível desde o início da medição em 1978, informou o observatório Copernicus à AFP.

Outro indicador importante, a "extensão diária do gelo" na Antártica, "também atingiu um  mínimo histórico, superando o recorde anterior de fevereiro de 2022", informou o serviço de monitoramento.

O Centro Nacional de Dados de Gelo e Neve (NSIDC, na sigla em inglês) dos Estados Unidos já havia alertado no mês passado para a redução da massa de gelo, mas anunciou uma superfície menor, de 1,79 milhão de km2.

O serviço Copernicus atribuiu a divergência de dados a "algoritmos diferentes" de medição da área.

A extensão do gelo sobre o oceano do Polo Sul diminui e é recomposta ciclicamente a cada ano, com variações a cada estação, mas a redução detectada pelos serviços de monitoramento europeus e americanos se tornou mais intensa.

A redução do gelo marinho representa um aumento do nível do mar, porque é água salgada que simplesmente estava congelada.

Mas ao descongelar, esta barreira revela a grande massa continental congelada, que sofre os efeitos do oceano.

Este gelo é de água doce e, em caso de descongelamento, poderia causar uma catástrofe.

O observatório europeu do clima Copernicus confirmou nesta terça-feira que o gelo marinho na Antártica registrou queda recorde em fevereiro pelo segundo ano consecutivo, como tem acontecido por uma década.

O gelo marinho tem outro papel importante, o denominado efeito albedo, a quantidade de radiação solar que uma determinada superfície reflete de volta para a atmosfera. À medida que derrete, este é substituído pela massa escura do oceano, que absorve mais luz, o que contribui para as mudanças climáticas.

De acordo com os dados do Copernicus, a área de gelo marinho antártico em fevereiro deste ano ficou 34% abaixo da média, batendo assim o recorde mensal de fevereiro de 2017.

Este é o oitavo ano consecutivo em que acontece o fenômeno de avanço do degelo, superando a média histórica registrada.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Antes destaque mundial, Grande Barreira de Corais australiana é comparada a cemitério
ESG

Antes destaque mundial, Grande Barreira de Corais australiana é comparada a cemitério

Há 4 horas

Tempestade inunda aeroporto de Dubai e jogo do time de Neymar é adiado
Esporte

Tempestade inunda aeroporto de Dubai e jogo do time de Neymar é adiado

Há 7 horas

Oceanos mais quentes levantam dúvida: subestimamos as mudanças climáticas?
ESG

Oceanos mais quentes levantam dúvida: subestimamos as mudanças climáticas?

Há 4 dias

Fenômenos da natureza causam 276 interdições em rodovias em seis meses
ESG

Fenômenos da natureza causam 276 interdições em rodovias em seis meses

Há 6 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais