Nível de testosterona pode definir sucesso no trabalho, indica estudo

Estudo que busca relacionar o hormônio masculino com o desempenho no mercado de trabalho foi publicado na revista Economics and Human Biology
Homens no trabalho: estudo relaciona nível de testosterona com sucesso no emprego (Getty Images/Getty Images)
Homens no trabalho: estudo relaciona nível de testosterona com sucesso no emprego (Getty Images/Getty Images)
Por Agência O GloboPublicado em 10/06/2022 16:44 | Última atualização em 10/06/2022 16:44Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Níveis mais altos de testosterona podem ajudar homens desempregados a encontrar trabalho e homens empregados a mantê-lo. A conclusão é de um estudo publicado na revista Economics and Human Biology.

O que dizem as últimas pesquisas científicas mais importantes? Descubra ao assinar a EXAME, por menos de R$ 0,37/dia.

A testosterona é o hormônio sexual masculino, responsável pelo desenvolvimento das características típicas dos homens e pelo estímulo ao crescimento muscular.

Estudos anteriores já haviam associado níveis mais altos da substância a diversos fatores sociais e econômicos, incluindo estar em níveis mais altos da hierarquia social e ter maior sucesso no ambiente de trabalho.

Mais testosterona também está ligado a uma série de traços cognitivos e de personalidade, como agressividade, correr riscos, motivação e até mesmo melhor capacidade numérica.

No novo trabalho, pesquisadores do Instituto Max Planck de Pesquisa Demográfica, na Alemanha, procuraram descobrir se os níveis de testosterona afetam o desempenho no mercado de trabalho.

Para isso, eles correlacionaram o nível do hormônio no sangue com o status de trabalho de mais de 2 mil homens empregados e mais de 110 homens desempregados na Inglaterra. Eles foram acompanhados durante um período de dois anos.

LEIA TAMBÉM: Óvnis ou drones? Nasa vai apresentar explicação para objetos voadores desconhecidos

Os resultados mostraram que tanto em grupos de homens inicialmente desempregados quanto inicialmente empregados, níveis mais altos de testosterona estavam ligados a um risco reduzido de desemprego.

O efeito foi mais substancial no grupo inicialmente desempregado, indicando que a testosterona pode aumentar a capacidade de encontrar trabalho.

Os pesquisadores admitem que não sabem a razão exata pela qual o hormônio pode afetar o status de trabalho.

As principais hipóteses para explicar essa associação incluem o fato de a testosterona estar associada ao comportamento pró-social, o que pode permitir que aqueles com níveis mais altos do hormônio conheçam mais pessoas, uma habilidade vital no mercado de trabalho atual.

Da mesma forma, a testosterona pode aumentar o comportamento competitivo e a assertividade, o que pode ser um bom presságio para os candidatos em uma entrevista.

Estudos anteriores com gêmeos mostraram que os hormônios desempenham um papel nos níveis de renda, bem como vários traços de personalidade normalmente associados a um maior sucesso.

Vale ressaltar que como um estudo correlacional, os resultados devem ser interpretados com cautela. Os níveis de testosterona flutuam regularmente, e não está claro se esses resultados se manteriam por um longo período de tempo ou se as flutuações gerais no curto e médio prazo são as culpadas.

Além disso, o tamanho da amostra inicialmente empregada é significativamente maior do que o outro grupo, portanto, tirar conclusões diretas do grupo de desempregados pode ser difícil.

(Agência O Globo)

LEIA TAMBÉM: Elementos essenciais para a vida são encontrados em asteroide, afirma estudo japonês