Ciência

Johnson & Johnson pausa produção de vacina contra a covid-19

Segundo o New York Times, empresa desativou silenciosamente a única das unidades que ainda fabricavam lotes utilizáveis

Vacinas da Johnson & Johnson contra a covid-19 (Dado Ruvic/Reuters)

Vacinas da Johnson & Johnson contra a covid-19 (Dado Ruvic/Reuters)

R

Reuters

Publicado em 8 de fevereiro de 2022 às 17h04.

Última atualização em 8 de fevereiro de 2022 às 17h44.

A Johnson & Johnson desativou silenciosamente a única de suas unidades que ainda fabricavam lotes utilizáveis de sua vacina contra a covid-19 no final do ano passado, noticiou o jornal New York Times, citando uma pessoa familiarizada com a decisão.

Descubra qual MBA melhor se encaixa ao seu perfil e comece agora.

A suspensão é temporária, e a unidade de Leiden deve retomar a produção da vacina dentro de alguns meses novamente, afirmou a reportagem do NYT.

A Johnson & Johnson tem milhões de doses de sua vacina contra a covid-19 em estoque, e continua fornecendo a todas suas unidades de envase e formulação, inclusive em Aspen, os insumos necessários para a produção do imunizante, disse a empresa por e-mail.

"Continuamos cumprindo nossas obrigações contratuais em relação ao Covax Facility e à União Africana", disse a farmacêutica.

A instalação na cidade holandesa de Leiden tem fabricado uma vacina experimental, mas potencialmente mais lucrativa, para proteger contra um vírus não relacionado, de acordo com a reportagem.

No mês passado, a farmacêutica fez uma previsão de US$ 3,5 bilhões em vendas de sua vacina contra a covid-19 em 2022, um salto de 46%, mas ainda assim um desempenho bem abaixo de suas concorrentes.

A empresa reportou vendas de 2,39 bilhões para a vacina contra a covid-19 em 2021, não alcançando sua própria meta de US$ 2,5 bilhões, após um ano marcado por dificuldades de manufatura, preocupações de segurança e demandas desiguais por um imunizante que já foi celebrado com uma ferramenta promissora para imunizar as populações em regiões de difícil acesso.

O que dizem as últimas pesquisas científicas mais importantes? Descubra ao assinar a EXAME, por menos de R$ 0,37/dia.

Acompanhe tudo sobre:Indústria farmacêuticaJohnson & Johnsonvacina contra coronavírusVacinas

Mais de Ciência

Ozempic reduz risco de morte para pessoas com diabetes, revela estudo

Einstein estava certo sobre a gravidade em buracos negros, diz estudo

'Saquinho' de nicotina ganha adeptos para perda de peso

Usuários do Wegovy mantêm perda de peso por quatro anos, diz Novo Nordisk

Mais na Exame