Ciência

Ação humana causou alta de 1,07°C na temperatura global, diz ONU

O dado preocupante faz parte do relatório dos especialistas climáticos das Nações Unidas (IPCC), publicado nesta segunda-feira

 (Leonhard Foeger/Reuters)

(Leonhard Foeger/Reuters)

Esta reportagem faz parte da newsletter EXAME Desperta. Assine gratuitamente e receba todas as manhãs um resumo dos assuntos que serão notícia.

O relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC, sigla em inglês), publicado na segunda-feira, 9, entre outros destaques, trouxe um dado alarmante: os seres humanos são responsáveis por um aumento de 1,07°C na temperatura do planeta.

"Trata-se da advertência mais séria já feita" sobre o aquecimento global, afirmou o presidente da COP26, Alok Sharma, ao antecipar ao jornal The Guardian o tom da nova versão do documento que, até então, não havia quantificado a responsabilidade das ações humanas no aumento da temperatura na Terra.

O informe do IPCC "é um sinal de alerta para todos os que ainda não entenderam por quê a próxima década deve ser absolutamente decisiva em termos de ação pelo clima", afirmou Sharma. As consequências da mudança climática já são evidentes, completou, ao citar as inundações na Europa e na China ou os incêndios florestais, as temperaturas recordes observadas na América do Norte.

Os dados de hoje integram a primeira das três etapas do relatório do IPCC. As duas próximas abordarão como lidar com o aquecimento e quais as estratégias para evitar um aumento ainda maior da temperatura. No entanto, o texto desta segunda-feira deve ser o único divulgado antes da Conferência das Partes (COP26), prevista para novembro em Glasgow, na Escócia.

O IPCC foi criado em 1988 pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente e pela Organização Meteorológica Mundial com a intenção de reunir o conhecimento produzido sobre as mudanças climáticas e trazer uma interpretação que possa ser convertida em políticas públicas nos países que o acatam. O atual documento originalmente estava previsto para sair em abril, mas os trabalhos foram adiados pela pandemia de covid-19. O texto tem 234 autores de 66 países.

Acompanhe tudo sobre:Exame HojeIPCCMudanças climáticasONU

Mais de Ciência

Virgin Galactic faz último voo espacial antes de um hiato de dois anos

Gel pode virar tratamento contraceptivo para homens

Beber álcool antes de dormir no avião traz risco para a saúde, revela estudo

Painel da FDA rejeita MDMA para tratar estresse pós-traumático

Mais na Exame