Pôr do sol ou pôr-do-sol? Professor de português explica

Diogo Arrais explica como não errar na hora de colocar (ou não hífen) e os plurais de substantivos compostos

Pôr do sol: substantivos compostos ainda causam dúvidas (Study Queenstown/Divulgação)

Pôr do sol: substantivos compostos ainda causam dúvidas (Study Queenstown/Divulgação)

Durante a corrida no parque, vejo uma placa: “Presença de quero-quero no jardim.” De imediato, reflito sobre o plural do substantivo composto e sobre a origem do termo jardim. De onde terá vindo o termo “jardim”?

No consagrado estudo de Deonísio da Silva – autor pelo qual tenho grande apreço – há: “do francês jardin; vindo do frâncico gart. O latim denominava hortus gardinus o espaço para cultivo de árvores frutíferas, legumes, verduras e flores, nas proximidades das residências. O étimo está presente no inglês garden e no alemão garten.”

Em consulta ao Aulete e ao Vocabulário Ortográfico da Academia Brasileira de Letras, o plural de “quero-quero” é “quero-queros”. A lógica normativa está no fato de que termos repetidos deveriam ter o plural apenas no segundo elemento. Nem sempre é assim (o que causa confusão ao usuário da língua portuguesa), como no caso de “pula-pula”. Existem, pois, com o aval da Academia, “pula-pulas” e “pulas-pulas”.

Onomatopaicos (representações gráficas dos sons), compostos, hifenizados, seguem o princípio da pluralização do segundo elemento: pingue-pongues, tique-taques.

COMPOSTOS E O NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO

Os compostos com conectivos (como fim de semana) só possuirão hífen se estiverem ligados à Botânica (comigo-ninguém-pode) ou à Zoologia (carrapato-de-sapo).

Assim sendo, inúmeros compostos com conectivos não fazem mais uso de hífen: pôr do sol, dia a dia, fim de semana, dona de casa, pé de moleque, disse me disse, ponto e vírgula.

Mesmo após considerações, alguns termos merecem nova atenção. Receberam tal grafia, de acordo com a Academia Brasileira de Letras, por consagração popular: mandachuva, paraquedas, paraquedista, paraquedismo.

É importante ainda notar algumas grafias: pontapé, corrimão, madressilva, para-lamas, para-brisa, girassol, passatempo.

Para casos mais específicos, procure adquirir a obra A Nova Ortografia, de Evanildo Bechara, e o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa.

Um grande abraço, até a próxima e inscreva-se no meu canal!

DIOGO ARRAIS
http://www.ETIMO.com.br
YouTube: MesmaLíngua
Professor de Língua Portuguesa

Inscreva-se e receba por e-mail dicas e conteúdos gratuitos sobre carreira, vagas, cursos, bolsas de estudos e mercado de trabalho.

Mais de Carreira

Como esse brasileiro se tornou CEO global de uma empresa francesa que deve faturar 1 bilhão de euros

Quais os cursos da área de humanas? Veja 20 profissões

O que você precisa saber sobre a lei de controle de ponto nas empresas

Síndrome da segunda-feira: como a falta de motivação para começar a semana pode afetar sua carreira

Mais na Exame