Acompanhe:
seloCarreira

Expediente das 9h às 18h é regra do passado e este estudo mostra por que

Pesquisa da Talenses com mais de 2 mil profissionais procurou os fatores mais atraentes para uma nova posição de trabalho

Modo escuro

Continua após a publicidade
Mulher com relógio: veja como funciona o banco de horas (diego_cervo/Thinkstock)

Mulher com relógio: veja como funciona o banco de horas (diego_cervo/Thinkstock)

L
Luísa Granato

Publicado em 5 de junho de 2018 às, 15h00.

Última atualização em 7 de junho de 2018 às, 15h13.

São Paulo - A palavra-chave para atrair novos talentos para as empresas é flexibilidade. De acordo com pesquisa feita pela Talenses, 60% dos entrevistados apontaram como fundamental a flexibilidade de horário. Feita em março deste ano com mais de 2.500 profissionais, a pesquisa identificou os fatores que atraem profissionais para uma nova posição de trabalho.

Oferecer opções alternativas aos horários fixos para começar e terminar o expediente se torna uma vantagem competitiva cada vez mais forte para as empresas. Entre integrantes da geração Y, os famosos "millennials" (de 1980 até meados da década de 1990), a maior liberdade é valorizada por 64% dos entrevistados.

De acordo com Paulo Moraes, diretor da Talenses do Rio de Janeiro, a tendência é de mudança de cultura e de prioridades entre as gerações de trabalhadores.

“Os jovens não veem motivos para o horário fixo ou trabalho presencial. Para eles, é possível resolver qualquer coisa de qualquer lugar. Afinal, eles vivem no ambiente tecnológico”, explica ele. “Diferente dos trabalhadores mais velhos, que não cresceram com a tecnologia e valorizam mais o contato pessoal”.

A pesquisa também mostrou uma distinção entre gêneros: 70% das mulheres escolheram a flexibilidade como fator atrativo, contra 56% dos homens. A divisão de responsabilidades sobre a família e filhos ainda pesa mais para a mulher, que avalia com mais cuidado as opções que a empresa oferece, o horário flexível se destacando entre os benefícios.

Embora esse modo de trabalho seja muito novo no Brasil, segundo o diretor da Talenses, a tendência é que as empresas procurem alternativas para flexibilizar o trabalho, de forma a atender os anseios da mão de obra especializada que entrar no mercado.

Para Moraes, a reforma trabalhista, que entrou em vigor em novembro do ano passado, pode acelerar essa mudança.

“A nova legislação apenas formalizou algo que já acontecia no mercado. As pessoas vão ter mais liberdade para usar o tempo da melhor forma que quiserem. A tendência são contratos com objetivos e tarefas definidos, não horários”.

Últimas Notícias

Ver mais
Quer trabalhar de qualquer lugar do mundo? Veja as vagas home office disponíveis nesta semana
seloCarreira

Quer trabalhar de qualquer lugar do mundo? Veja as vagas home office disponíveis nesta semana

Há 6 horas

A empresa de todos os modelos: Grupo Boticário cria versão de home office enquanto amplia escritório
seloCarreira

A empresa de todos os modelos: Grupo Boticário cria versão de home office enquanto amplia escritório

Há 7 horas

Cigarros eletrônicos e alcoolismo na adolescência serão temas de audiências públicas no Senado
Brasil

Cigarros eletrônicos e alcoolismo na adolescência serão temas de audiências públicas no Senado

Há 2 dias

Maioria vê trabalho remoto como risco para a carreira, diz pesquisa
seloCarreira

Maioria vê trabalho remoto como risco para a carreira, diz pesquisa

Há 2 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais