O que é disciplina, afinal? Sofia Esteves responde

Muita gente torce o nariz para a palavra "disciplina" porque acredita que ela traz rigidez e inflexibilidade para a vida. Mas não é bem assim

Sofia Esteves, fundadora da DMRH (DMRH/Divulgação)

Sofia Esteves, fundadora da DMRH (DMRH/Divulgação)

DR

Da Redação

Publicado em 21 de agosto de 2017 às 14h33.

Última atualização em 21 de agosto de 2017 às 22h50.

Semana passada, foi realizado o 43º Congresso Nacional de Gestão de Pessoas (CONARH), em que discutimos temas de extrema importância para quem atua com gestão de pessoas. Entre diversas palestras, uma delas contou com a participação do Dr. Drauzio Varella, ele contou que, aos 49 anos, cruzou com um antigo colega dos tempos de escola, que não via há muito tempo.

Durante a conversa, o amigo disse a ele que aos 50 anos chegava a decadência do homem. Indignado com a trágica previsão, ele decidiu virar maratonista aos 50 anos para provar que ali não estaria a sua decadência. Hoje, aos 74 anos, ele acredita que só consegue fazer tudo o que faz por causa da disciplina que a corrida trouxe para sua vida.

A fala do Dr. Dráuzio traz uma palavra muito importante para quem quer ter sucesso no que faz, seja no trabalho ou na vida pessoal: disciplina. Muitas pessoas me dizem que não sabem como eu consigo fazer tantas coisas, me dedicar a tantos projetos e, ainda assim, ter vida pessoal, horas de sono e de lazer. Eu também só consigo fazer tudo o que eu faço porque sou muito disciplinada e mantenho o foco nas prioridades da minha vida.

Sei que muita gente torce o nariz para a palavra disciplina porque acredita que ela traga rigidez e inflexibilidade para a vida. Por experiência própria, digo que não é nada disso.

A disciplina é o que proporciona que eu tenha um equilíbrio entre todos os meus projetos, a minha família e aquilo que me dá prazer. Porém, ser disciplinado também requer que a gente tenha um alto grau de conhecimento sobre nós mesmos, porque é apenas quando temos conhecimento das nossas forças e fraquezas é que conseguimos fazer escolhas eficientes para nós.

Quando possuímos autoconhecimento, sabemos exatamente o que queremos, o que devemos fazer e o que não aceitamos, assim, a disciplina nos ajuda no autocontrole para gerir todas as emoções e necessidades, ou seja, conseguimos fazer escolhas sem ultrapassar nossos limites.

Por exemplo, o Dr. Drauzio sabia que não queria o declínio da sua saúde, então, para que estivesse bem por todos os anos que ainda teria pela frente, ele determinou algo para si e, a partir de então, passou a cumprir uma rotina que permitiria que ele atingisse o seu objetivo. É a disciplina que faz com ele levante da cama para treinar, mesmo naquele dia frio em que a preguiça insiste que continuemos debaixo das cobertas.

Se você não é uma pessoa disciplinada e acredita que não consegue adquirir essa habilidade, vou te dar uma boa notícia: embora a disciplina seja um traço da personalidade de cada um, ela pode ser desenvolvida, sim. Minha principal dica para que você tenha sucesso nessa empreitada é a de que você deve buscar autoconhecimento acima de tudo, para saber com clareza o que é importante, o que é fundamental e o que não quer na sua vida.

Feito isso, crie um plano de ação com metas de curto, médio e longo prazo que sejam factíveis de serem cumpridas por você e estabeleça ferramentas que possam ajudá-lo nessas metas. A partir daí, será mais fácil colocar foco e determinação nas suas ações diárias, porque elas serão pautadas por aquilo que já definiu para você.

Boa sorte nessa jornada!

Mais de Carreira

Quais os cursos da área de humanas? Veja 20 profissões

O que você precisa saber sobre a lei de controle de ponto nas empresas

Síndrome da segunda-feira: como a falta de motivação para começar a semana pode afetar sua carreira

Como tirar o visto americano: guia prático e completo

Mais na Exame