Carreira

Nova Zelândia dificultará obtenção de visto de trabalho após imigração recorde

Para a ministra da Imigração, Erica Stanford, a ideia é colocar os neozelandeses 'na frente da fila'

Nova Zelândia: para quem quiser imigrar para o pais, será necessário comprovar conhecimentos de língua e experiência (Auckland University of Technology/Divulgação)

Nova Zelândia: para quem quiser imigrar para o pais, será necessário comprovar conhecimentos de língua e experiência (Auckland University of Technology/Divulgação)

Publicado em 9 de abril de 2024 às 06h32.

A Nova Zelândia dificultará a obtenção do visto para alguns imigrantes devido ao fato de que o país alcançou níveis 'insustentáveis' de migração. De acordo com o site Stats NZ, no ano passado, foram recebidos no país 173 mil cidadãos não neozelandeses.

Agora, quem quiser obter um visto de trabalho temporário para a Nova Zelândia terá que passar por crivos de linguagem e de habilidades. A ideia é "testar melhor o mercado de trabalho local e reduzir os riscos de deixar neozelandeses sem emprego", afirmou a ministra da Imigração, Erica Stanford, no domingo.

As mudanças incluem requerimentos ligados à comprovação de conhecimentos da língua inglesa para empregos mais simples e o estabelecimento de limites relacionados a habilidades e experiência para a obtenção do visto. Além disso, a estadia máxima para esses trabalhos será reduzida de cinco para três anos.

A medida é uma resposta à rápida migração para a Nova Zelândia que o país experimenta desde o fim da pandemia. Com a chegada de milhares de imigrantes, foram levantadas preocupações de que a inflação estaria crescendo, com documentos do Banco Central nacional buscando possíveis ligações entre os índices de migração e a inflação sendo inconclusivo.

Assim, antes de contratar um imigrante, o empregador precisará declarar que nenhum neozelandês adequado para a vaga se candidatou antes que ela seja oferecida a um estrangeiro. Segundo o ministério dos Negócios, Inovação e Emprego, eles deverão explicar ainda o porquê de nenhum neozelandês que aplicou para o posto não ter sido contratado. Alguns setores serão isentos desse tipo de explicação.

De acordo com Stanford, é necessário garantir que "neozelandeses sejam colocados na frente da fila" para empregos em que não haja escassez. A ideia é proteger os cidadãos nativos da Nova Zelândia em relação aos imigrantes, assegurando que estes não ocupem vagas que neozelandeses pudessem ocupar.

Acompanhe tudo sobre:Nova Zelândiafuturo-do-trabalhoJornada de trabalho

Mais de Carreira

Quem tem mais de 40 anos está ocupando o lugar da Gen Z no trabalho. Para onde vão os mais jovens?

CNU: Enem dos Concursos será dia 18 de agosto, veja dicas de como se preparar nesta reta final

“Segue anexo” ou “Segue em anexo”: qual é a forma correta para usar no e-mail?

O que recebo se eu pedir demissão? Conheça seus direitos e os cálculos rescisórios

Mais na Exame