Carreira

Jovens são 40% do Instituto Nordeste Cidadania

Jovens funcionários são treinados na própria empresa


	Marca do Instituto Nordeste de Cidadania feita por crianças de projetos sociais
 (Divulgação)

Marca do Instituto Nordeste de Cidadania feita por crianças de projetos sociais (Divulgação)

DR

Da Redação

Publicado em 19 de agosto de 2013 às 18h12.

Fortaleza (CE) - Cerca de 40% do quadro de funcionários do Instituto Nordeste Cidadania (Inec) é formado por jovens. Além das oportunidades de carreira, o que atrai esses profissionais é a possibilidade de contribuir para a inclusão social das comunidades em que ­atuam.

"Com nosso trabalho ajudamos a melhorar a vida das pessoas", diz um funcionário. O Inec oferece serviços de qualificação profissional, orientação financeira, venda de microcréditos e garantias para microempresários, principalmente para Nordeste, Brasília, norte de Minas Gerais e Espírito Santo.

Para os jovens, o trabalho no Instituto também representa uma oportunidade de vida. Isso porque muitos deles conseguiram o primeiro emprego no Inec e são treinados na própria empresa. Em 2012, cerca de 3 milhões de reais foram investidos em desenvolvimento de pessoas.

"O que vale não é só o currículo, o mais importante é o potencial de cada um de nós. Por isso, mesmo sem ter experiência, fui contratado", diz um jovem. Para atrair e reter esses funcionários, o Instituto investe em uma comunicação interativa, com uso de internet e redes sociais, como o Facebook, além de oferecer possibilidade de crescimento rápido.

"Não é difícil termos líderes de 22 anos responsáveis pela gestão de uma carteira de crédito com mais de 3 milhões de ­reais e uma equipe formada por dez pessoas", afirma Helda Kelly, diretora administrativo-socioambiental do Inec. Ao todo, o Instituto conta com 12 níveis horizontais para os cargos de assessor e coordenador, que permitem um crescimento mais rápido de carreira.

Em média, um funcionário sobe de nível a cada oito meses. "Tenho orgulho de trabalhar aqui porque o nosso valor é retirar as pessoas da linha da pobreza e promover a inclusão social", diz um jovem. 

Ponto(s) positivo(s) Ponto(s) negativo(s)
O instituto investe no desenvolvimento dos jovens e permite um crescimento rápido de carreira. o salário e os benefícios também agradam. Há reclamações sobre a falta de espaços de convivência e relaxamento em todas as unidades para melhorar a qualidade de vida dos funcionários.
Acompanhe tudo sobre:Carreira jovemEdição 180Melhores Empresas para Começar a CarreiraMercado de trabalho

Mais de Carreira

Faculdade EXAME oferece bolsa integral para graduação em Ciências de Dados e Inteligência Artificial

O benefício número 1 que mantém as pessoas felizes no trabalho, segundo executiva da Finlândia

Qual a diferença entre hard skills e soft skills?

Como estudar para concursos públicos: dicas essenciais para sucesso

Mais na Exame