Carreira

Desabafar com amigo não ajuda - veja a maneira nº 1 de controlar sua raiva no trabalho

Estudo realizado nos EUA mostra que as atividades que diminuem a excitação são melhores para ajudar uma pessoa na hora da raiva; veja quais são as iniciativas e como usá-las no dia a dia - Google, inclusive, já aposta em uma delas

Viver os pequenos momentos podem ser tão poderosos quanto uma medição tradicional, afirma coach executiva  (skynesher/Getty Images)

Viver os pequenos momentos podem ser tão poderosos quanto uma medição tradicional, afirma coach executiva (skynesher/Getty Images)

Publicado em 2 de abril de 2024 às 09h55.

Última atualização em 2 de abril de 2024 às 11h57.

É comum dividirmos as frustrações do trabalho com um amigo de confiança ou um familiar, mas segundo uma matéria da CNBC, veículo americano, um artigo recente da Clinical Psychology Review afirma que desabafar não ajuda a controlar a raiva - inclusive no ambiente de trabalho.

Pesquisadores analisaram 154 estudos envolvendo mais de 10 mil participantes sobre os impactos tanto de atividades que aumentam a excitação, como desabafar ou correr, e as atividades que diminuem a excitação, como meditação ou ioga, para acalmar uma pessoa. Como resultado, descobriram que as atividades que diminuem a excitação eram melhores para ajudar uma pessoa a gerenciar sua raiva.

É possível meditar no trabalho?

Sim, é possível meditar no ambiente de trabalho e algumas empresas já dão abertura para isso, como espaço no escritório ou até um momento de silêncio antes das reuniões, afirma Milena Brentan, coach executiva. “É uma técnica um pouco subestimada pelas empresas, mas as que aplicam tendem a conseguir maior concentração dos funcionários nas reuniões e demais atividades.”

Em algumas empresas a meditação acaba até fazendo parte da cultura, como é o caso do Google que desenvolveu uma técnica de meditação que deu origem ao livro chamado “Search Inside Yourself”, ou “Busque dentro de você”, afirma Brentan.

“Esse livro é o resultado de um programa de treinamento interno de mindfulness e de inteligência emocional desenvolvido pelo próprio Google”, afirma a coach que reforça que o autor, Chad-Meng Tan, era um dos engenheiros da companhia.

“Chad-Meng Tan começou o programa com o objetivo de ajudar os funcionários e os colegas a desenvolverem a consciência de si mesmo, gerenciar o estresse e a melhorar a comunicação e a liderança por meio de práticas de atenção plena e de técnicas de inteligência emocional.”

Tan foi estimulado a desenvolver essa metodologia, segundo Brentan, depois dele mesmo passar por um processo individual, onde sentiu a necessidade de usar técnicas de meditação para sua saúde mental no trabalho.

“Esse é um exemplo real e palpável de que meditação no trabalho é possível e relevante, tanto que empresas vanguardistas, como o Google, dão bastante espaço para que a meditação aconteça na prática e no escritório.”

Quanto tempo é necessário para se acalmar?

“Impressionante como 10 segundos de respiração focada já podem ajudar a acalmar os níveis de ansiedade”, afirma Brentan que lembra que técnicas de mindfulness não é somente meditar sozinho, é possível fazer também o que chamam de “meditação ativa”.

“É a técnica em que você presta atenção no que você faz, e isso pode acontecer na hora de tomar um café da manhã, por exemplo, em que prestará atenção no que está fazendo, que você perceba o sabor dos alimentos e o cheiro do café. Viver os pequenos momentos podem ser tão poderosos quanto uma medição tradicional. É a importância de estar presente no que faz.”

Acompanhe tudo sobre:saude-mentalSaúde no trabalhoAmbiente de trabalhoGoogle

Mais de Carreira

Gerdau abre 120 novas vagas para programa de estágio; veja os requisitos

Quanto ganha um fisioterapeuta? Veja carreira e salário médio

Samsung adota regime de 6 dias de trabalho por semana na Coreia do Sul. A medida chegará ao Brasil?

Com ofertas especiais, Faculdade EXAME abre vagas para MBA em Inteligência Artificial para Negócios

Mais na Exame