Carreira

Bolsa de estudos de 10.000 dólares para mestrado em desenvolvimento de energia aceita brasileiros

Cerca de 12 estudantes serão selecionados para a oportunidade

A Global Sustainable Electricity Partnership (GSEP), em tradução livre: Parceria Global de Eletricidade Sustentável, é uma organização internacional. Hoje, é composta por empresas globais de eletricidade no centro da revolução elétrica e, por isso, oferece bolsas de estudos globais para alunos de mestrado em desenvolvimento de energia (Emmanuel Ikwuegbu/Pexels/Divulgação)

A Global Sustainable Electricity Partnership (GSEP), em tradução livre: Parceria Global de Eletricidade Sustentável, é uma organização internacional. Hoje, é composta por empresas globais de eletricidade no centro da revolução elétrica e, por isso, oferece bolsas de estudos globais para alunos de mestrado em desenvolvimento de energia (Emmanuel Ikwuegbu/Pexels/Divulgação)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 15 de fevereiro de 2023 às 11h14.

Última atualização em 15 de fevereiro de 2023 às 11h15.

A Global Sustainable Electricity Partnership (GSEP), em tradução livre: Parceria Global de Eletricidade Sustentável, é uma organização internacional.

Hoje, é composta por empresas globais de eletricidade no centro da revolução elétrica e, por isso, oferece bolsas de estudos globais para alunos de mestrado em desenvolvimento de energia.

A instituição quer revolucionar a forma como é gerada energia no mundo, com o desenvolvimento de energia sustentável, renovável ou carbono zero, além de outras ferramentas úteis para o setor.

E, para isso, está com inscrições abertas para bolsas de estudos que vão apoiar os estudos avançados na área da energia.

Serão 12 bolsistas escolhidos que podem fazer mestrado em qualquer lugar do mundo, desde que sejam relacionados diretamente à geração de energia.

Podem concorrer alunos de países em desenvolvimento da lista do Comitê de Ajuda ao Desenvolvimento da OCDE, da qual o Brasil faz parte.

Os alunos escolhidos vão receber bolsas de estudos de até 10.000 dólares por ano (cerca de 52.000 reais) por até dois anos de programa de mestrado.

Quem pode concorrer?

As inscrições já estão abertas e terminam no dia 7 de abril de 2023, às 19h no horário de Brasília.

Os interessados devem cumprir alguns critérios de elegibilidade. São eles:

  • ser um cidadão de um dos países em desenvolvimento listados pela OCDE;
  • realizar os estudos na área de energia, desde tecnologias até políticas públicas ou outras áreas relevantes;
  • comprometer-se a voltar ao país de origem após os estudos para contribuir no desenvolvimento;
  • ser um aluno excepcional, entre os melhores 20% da turma;
  • ter histórico de envolvimento com a comunidade onde vive.

Além de cumprir os requisitos, o aluno não pode receber outra bolsa de estudos simultaneamente.

Já alunos que começaram o mestrado no ano anterior, mas ainda tem um ano letivo pela frente, podem aplicar para a bolsa de estudos. Neste caso, o benefício não terá valor retroativo, porém pode ser recebido pelo mestrando pelo restante do curso.

Os estudantes podem fazer a aplicação online, pelo site oficial da GSEP. Para isso, é preciso apresentar alguns documentos:

  • Passaporte ou certidão de nascimento comprovando a cidadania de um país em desenvolvimento;
  • Curriculum vitae com histórico de educação, experiência de trabalho, prêmios e participação em atividades voluntárias e/ou extracurriculares;
  • Carta de admissão do programa universitário de sua escolha;
  • Duas cartas de recomendação (sendo uma de um professor ou outra referência acadêmica);
  • Grade curricular do programa de mestrado.

Portanto, o estudante deve aplicar e ser aceito para o programa de mestrado do seu interesse antes de concorrer a essa bolsa de estudos.

Não há nenhuma restrição quanto a universidade ou país de interesse: os candidatos podem aplicar para qualquer programa de mestrado do mundo relacionado à energia.

No caso de documentos que não estão em inglês, é obrigatório também apresentar a tradução certificada e o documento original.

Só para se ter uma ideia, no ano passado 872 alunos concorreram à bolsa de estudos. Até o momento, desde o começo do programa, mais de 163 bolsistas foram contemplados de mais de 40 países diferentes.

Inscreva-se e receba por e-mail dicas e conteúdos gratuitos sobre carreira, vagas, cursos, bolsas de estudos e mercado de trabalho.

Acompanhe tudo sobre:Bolsas de estudoCursos no exteriorPós-graduação

Mais de Carreira

O Poder da Inteligência Artificial no Futuro do Trabalho: Transformação, Desafios e Oportunidades

Não quer voltar para o trabalho presencial? Veja as vagas de home office disponíveis nesta semana

Como se tornar um cientista de dados? Veja o que faz, salário e como ingressar na carreira

5 dicas para estudar e aprender matemática

Mais na Exame