Austrália quer acelerar liberação de vistos para estudantes e trabalhadores

Liberação dos documentos está com um atraso de mais de 16 mil candidaturas; governo aposta em intercambistas e imigrantes para reaquecer a economia
O Departamento de Assuntos Internos da Austrália (DHA, na sigla em inglês) enfrentou uma série de problemas quando seu financiamento foi reduzido em 875 milhões de dólares australianos. Isso representou um terço do orçamento do setor de migração do departamento, o que leva a temores de mais atrasos até o próximo ano (Wikimedia Commons/Wikimedia Commons)
O Departamento de Assuntos Internos da Austrália (DHA, na sigla em inglês) enfrentou uma série de problemas quando seu financiamento foi reduzido em 875 milhões de dólares australianos. Isso representou um terço do orçamento do setor de migração do departamento, o que leva a temores de mais atrasos até o próximo ano (Wikimedia Commons/Wikimedia Commons)
L
Lucas Almeida, da Universidade do Intercâmbio

Publicado em 06/07/2022 às 11:20.

Última atualização em 06/07/2022 às 11:26.

O governo recém-eleito da Austrália anunciou que está trabalhando para lidar com o crescente acúmulo de vistos no país. As pendências burocráticas para a liberação dos documentos atingiram, nos últimos meses, tanto estudantes quanto trabalhadores qualificados que desejam se mudar para o país.

O novo ministro da imigração australiano, Andrew Giles, disse que vai trabalhar para que o governo agilize a fila de solicitações, visando os interesses econômicos do país. “Meu foco é garantir que eliminemos esse atraso o mais rápido e eficientemente possível, no interesse nacional”, disse Giles à ABC Radio.

Além de reduzir os atrasos na liberação dos documentos, ele acrescentou que havia a necessidade de “entregar um sistema de vistos adequado ao propósito”. De acordo com a revista Financial Review, só no caso dos vistos de trabalho há um atraso de cerca de 16 mil candidaturas.

Eliminar pendências de vistos é uma prioridade

O primeiro-ministro australiano, Anthony Albanese, já havia anunciado anteriormente que tinha como prioridade resolver o atraso de vistos, que está afetando a escassez de mão de obra qualificada do país. Da mesma forma, Giles disse em sua entrevista à ABC Radio que eles estão “fazendo tudo o que podem”, acrescentando que lidar com o atraso de vistos “tem sido sua prioridade número um”.

Giles também quer garantir que atrasos no tempo de análise e liberação dos vistos não aconteçam novamente, e isso envolve evitar uma abordagem lenta dos processos de imigração, o que, segundo ele, afetou o crescimento econômico do país nos últimos nove anos.

Para conseguir isso, o ministro da imigração disse que o governo australiano está procurando alocar recursos adequados e desenvolver opções de políticas para progredir no combate aos atrasos de vistos.

Problemas vêm desde a reabertura das fronteiras

O Departamento de Assuntos Internos da Austrália (DHA, na sigla em inglês) enfrentou uma série de problemas quando seu financiamento foi reduzido em 875 milhões de dólares australianos. Isso representou um terço do orçamento do setor de migração do departamento, o que leva a temores de mais atrasos até o próximo ano.

“O que [esses cortes orçamentários] fizeram foi sobrecarregar ainda mais as mulheres e homens trabalhadores do departamento”, disse Giles.

O DHA também aumentou a rigorosidade da avaliação dos pedidos de visto de estudante australiano. Isso, no entanto, pode aumentar o tempo de processamento das candidaturas. Segundo o departamento, o fornecimento de informações incorretas e documentos falsos são um dos motivos mais comuns para o cancelamento e a recusa das solicitações.

O grande volume de estudantes internacionais esperando para registrar sua solicitação de visto desde que o bloqueio por causa da covid-19 entrou em vigor há dois anos também aumentou o prazo de análise dos documentos. Isso se deve ao fato de a equipe do DHA estar sobrecarregada com o volume de solicitações recebidas, além de lidar com outros tipos de vistos.

De acordo com o site do departamento, em março de 2022, 90% dos pedidos de visto de estudante da Subclasse 500 foram aprovados em 58 dias.

Muitos solicitantes de visto de estudante, incluindo do Brasil, no entanto, foram afetados por tempos de espera mais longos, com alguns supostamente não recebendo sua permissão para viver e estudar na Austrália depois de quase dois anos após o envio do pedido.

Atraso nos vistos tem atrapalhado plano de recuperação econômica

Com uma escassez de mão de obra qualificada, a Austrália tem contado com estudantes e trabalhadores de outros países para reaquecer sua economia, agora que a fase mais crítica da pandemia de covid-19 passou. O atraso na liberação dos vistos, no entanto, vem atrasando esse plano de recuperação econômica.

O Gabinete Nacional do país concordou recentemente em afirmar seu compromisso compartilhado de abordar urgentemente a escassez de trabalhadores qualificados.

“Como parte do compromisso da Commonwealth, [o Gabinete] trabalhará urgentemente para resolver um atraso no processamento de pedidos de visto em áreas de escassez de habilidades, reduzir o tempo de processamento de vistos e priorizar treinamento e migração”, disse o órgão em um comunicado.

Dicas de carreira, vagas e muito mais

Você já conhece a newsletter da Exame Academy? Você assina e recebe na sua caixa de entrada as principais notícias da semana sobre carreira e educação, assim como dicas dos nossos jornalistas e especialistas.

Toda terça-feira, leia as notícias mais quentes sobre o mercado de trabalho e fique por dentro das oportunidades em destaque de vagas, estágio, trainee e cursos. Já às quintas-feiras, você ainda pode acompanhar análises aprofundadas e receber conteúdos gratuitos como vídeos, cursos e e-books para ficar por dentro das tendências em carreira no Brasil e no mundo.

Inscreva-se e receba por e-mail dicas e conteúdos gratuitos sobre carreira, vagas, cursos, bolsas de estudos e mercado de trabalho.