A lição de Ana Paula Padrão sobre seu sucesso no Masterchef

A jornalista e apresentadora do Masterchef falou durante o evento online sobre carreira organizado pela Cia de Talentos

A jornalista e apresentadora do Masterchef, Ana Paula Padrão, abriu hoje a programação da Maior live de carreira do mundo, evento gratuito organizado pelo Grupo Cia de Talentos.

Nos dias 22 e 23, o canal da Cia de Talentos no Youtube vai transmitir 24 horas de conteúdos sobre o início de carreira, ajudando jovens profissionais a navegarem o mercado de trabalho e o novo contexto da pandemia do coronavírus.

Sofia Esteves, fundadora e presidente do conselho do grupo, conta que a ideia para o projeto surgiu das dúvidas e angústias publicadas por jovens profissionais nos canais da empresa. O evento foi criado em menos de 10 dias por um time de pessoas da empresa.

E 2020, a Companhia de Talentos completa 30 anos do seu primeiro programa de trainee.

Durante o bate-papo com a apresentadora, Esteves perguntou qual era o fator chave para o sucesso na carreira e no Masterchef.

“Se tivesse uma fórmula mágica, eu patenteava e vendia. Meu irmão sempre disse que nasci com muita sorte. Fiquei com isso na cabeça. Hoje acho que a sorte está relacionada a quantidade de energia que você investe naquilo que está fazendo”, conta Ana Paula Padrão. 

“O desejo é uma coisa. A vontade de fazer esse desejo virar algo concreto na vida é o que faz a diferença”. 

Ela explicque pode não ter vindo de uma família rica, mas reconhece que teve seus privilégios na jornada. No entanto, ela também acredita que existe uma dificuldade para mulheres, especialmente as ambiciosas como ela, para crescer na carreira.  

Ela faz a comparação com uma criança andando de bicicleta. Meninos são estimulados a tentar de novo quando erram, enquanto meninas são poupadas do esforço para melhorar.  

Segundo a jornalista, muitas vezes em sua carreira, ela ouviu elogios sobre sua aparência, oratória e talento. E eles geralmente vinham acompanhados com uma mensagem desmotivadora: “pode ficar calma onde está, que você já é boa”. 

“No começo da carreira, tive o empecilho que era justamente quem batia na minha cabeça e falava para me acalmar e não ser competitiva”, fala. 

Sobre sua transição de carreira como jornalista para apresentadora da competição de culinária, ela dá o crédito a uma habilidade que reconhecer ser difícil de medir: sua intuição. 

“Do ponto de vista da racionalidade, não sei responder porque aceitei. Tive a sensação boa de que combinava com a audiência. Você tem que aprender a conhecer o consumidor do produto que está fazendo. O meu produto era notícia e eu sabia quem estava no sofá apreciando aquilo”, diz ela.

A lição para seu sucesso é resumida por ela como uma mistura de empenho, ambição e experiência profissional.

O que todos chamam de sorte é muito o empenho numa mesma coisaSe você bate na mesma porta 365 dias do ano, pode ser que demore 365 para ela ser aberta, mas um dia ela será aberta. E isso não é sorte. Não tem nada a ver com sorte, é empenho. Os outros 364 dias eu também estava lá batendo na porta. E a intuição, para mim, é só experiência acumulada: a capacidade de ouvir e reter esse conhecimento em algum lugar, que ele vai aparecer. Ainda que não compreenda de maneira racional”, resume a apresentadora. 

O evento continua até às 21h20 de hoje. Acompanhe:

Espera! Tem um presente especial para você.

Uma oferta exclusiva válida apenas nesta Black Friday.

Libere o acesso completo agora mesmo com desconto:

exame digital

R$ 15,90/mês

R$ 6,36/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

R$ 40,41/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.