• AALR3 R$ 20,30 1.20
  • AAPL34 R$ 67,70 -3.15
  • ABCB4 R$ 17,34 4.39
  • ABEV3 R$ 14,10 -0.84
  • AERI3 R$ 3,72 -1.59
  • AESB3 R$ 10,70 0.19
  • AGRO3 R$ 30,84 0.72
  • ALPA4 R$ 20,75 -0.91
  • ALSO3 R$ 19,10 -1.29
  • ALUP11 R$ 26,60 0.76
  • AMAR3 R$ 2,43 3.40
  • AMBP3 R$ 30,44 -2.40
  • AMER3 R$ 23,07 0.52
  • AMZO34 R$ 67,17 -0.75
  • ANIM3 R$ 5,51 -0.54
  • ARZZ3 R$ 81,15 -0.86
  • ASAI3 R$ 15,44 0.26
  • AZUL4 R$ 21,24 0.05
  • B3SA3 R$ 11,79 2.08
  • BBAS3 R$ 35,66 -0.70
  • AALR3 R$ 20,30 1.20
  • AAPL34 R$ 67,70 -3.15
  • ABCB4 R$ 17,34 4.39
  • ABEV3 R$ 14,10 -0.84
  • AERI3 R$ 3,72 -1.59
  • AESB3 R$ 10,70 0.19
  • AGRO3 R$ 30,84 0.72
  • ALPA4 R$ 20,75 -0.91
  • ALSO3 R$ 19,10 -1.29
  • ALUP11 R$ 26,60 0.76
  • AMAR3 R$ 2,43 3.40
  • AMBP3 R$ 30,44 -2.40
  • AMER3 R$ 23,07 0.52
  • AMZO34 R$ 67,17 -0.75
  • ANIM3 R$ 5,51 -0.54
  • ARZZ3 R$ 81,15 -0.86
  • ASAI3 R$ 15,44 0.26
  • AZUL4 R$ 21,24 0.05
  • B3SA3 R$ 11,79 2.08
  • BBAS3 R$ 35,66 -0.70
Abra sua conta no BTG

Podcast A+ I Em busca de equidade: desafios das mulheres no mercado

Episódio debate a participação feminina no mundo corporativo brasileiro, que ainda é marcado por muitos preconceitos e desigualdades
Episódio debate a participação feminina no mundo corporativo brasileiro, que ainda é marcado por muitos preconceitos e desigualdades (Divulgação/Bússola)
Episódio debate a participação feminina no mundo corporativo brasileiro, que ainda é marcado por muitos preconceitos e desigualdades (Divulgação/Bússola)
Por BússolaPublicado em 11/02/2022 10:42 | Última atualização em 11/02/2022 10:42Tempo de Leitura: 3 min de leitura

O novo episódio do Podcast A+ traz o debate promovido pela Bússola sobre a busca por mais equidade no mundo corporativo.

Se as mulheres têm conquistado cada vez mais espaço e reconhecimento na sociedade e no mercado, a desigualdade ainda está longe de ser superada. Além de representarem a maioria da população brasileira, elas são mais instruídas que os homens e têm mais acesso ao ensino superior, mas, ainda assim, ocupam apenas 37,5% dos cargos gerenciais nas empresas do país, segundo o último levantamento do IBGE.

Os indicadores revelam que as mulheres seguem em desvantagem nas posições de liderança e também ganham muito menos. O rendimento médio delas é 23% menor que o deles. No caso das mulheres negras, a realidade é ainda mais difícil. Elas recebem uma remuneração 55% inferior à dos homens brancos.

Ainda que as estratégias de promoção da diversidade e inclusão no mundo corporativo tenham ganhado maior visibilidade nos últimos anos, os números deixam claro que é preciso avançar nesta pauta e evoluir métricas para que as distorções sejam corrigidas e as companhias tenham representada nas suas equipes a pluralidade da sociedade brasileira.

Mais equidade no ambiente corporativo significa também mais diferencial competitivo. Empresas com um quadro plural de funcionários – que têm diferentes origens, experiências e histórias de vida – são mais inovadoras e mais capazes de atrair talentos e conquistar novos mercados. Estudo da McKinsey & Company mostra que companhias com maior diversidade de gênero em cargos de chefia têm 21% mais chance de apresentar resultados acima da média. No caso da diversidade étnica, esse número sobe para 33%.

Quais são, então, os principais desafios na busca por mais equidade no mercado de trabalho? Que obstáculos ainda impedem lideranças femininas de avançarem? Qual a importância de ampliar a participação de mulheres nos conselhos empresariais, que dobrou desde 2014, mas o índice é ainda de apenas 14%? Como a agenda ESG pode contribuir para tornar as empresas mais inclusivas e menos desiguais? E o que revela a experiência de executivas que têm contribuído para essa jornada mais diversa do mundo corporativo brasileiro? Essas e outras questões foram debatidas em pouco mais de uma hora de live no YouTube da Exame.

Com mediação do jornalista Rafael Lisbôa, diretor da Bússola, o bate-papo reuniu Helen Andrade, Head de Diversidade & Inclusão da Nestlé; Lídia Abdalla, Presidente do Grupo Sabin Medicina Diagnóstica; Maíra Habimorad, CEO do Inteli (Instituto de Tecnologia e Liderança); e Margareth Goldenberg, CEO na Goldenberg Diversidade e Gestora Executiva do Movimento Mulher 360.

Escute abaixo o episódio, e ainda pelo Spotify ou Apple Podcasts. A edição é de Guilherme Baldi.

O Podcast A+ faz parte da plataforma Bússola, uma parceria entre a Revista Exame e o Grupo FSB.

Assine os Boletins da Bússola

Siga Bússola nas redes:  InstagramLinkedin  | Twitter  |   Facebook   |  Youtube 

Mais da Bússola: