Bússola
Um conteúdo Bússola

Evento do Inteli debate o desafio de criar lideranças em tecnologia

Encontro reúne Roberto Sallouti e Sofia Esteves para falar sobre desafios e oportunidades no campus que será aberto no próximo ano

Inteli busca oferecer ferramentas e ambiente ideais para a formação de uma nova geração de líderes (Carol Yepes/Getty Images)

Inteli busca oferecer ferramentas e ambiente ideais para a formação de uma nova geração de líderes (Carol Yepes/Getty Images)

B

Bússola

Publicado em 22 de outubro de 2021 às 15h18.

Última atualização em 22 de outubro de 2021 às 17h07.

No próximo dia 25, Roberto Sallouti, um dos fundadores do Instituto de Tecnologia e Liderança (Inteli), primeira faculdade orientada por projetos do Brasil, realizará uma live ao lado de Sofia Esteves, fundadora da Cia de Talentos, sobre o processo de idealização do projeto e seus objetivos.

A missão do Inteli é oferecer ferramentas e ambiente ideais para a formação de uma nova geração de líderes, com sede de conhecimento e espírito empreendedor, além de forte capacidade de adaptação totalmente orientada para a solução de problemas reais”, declara o executivo.

Sem fins lucrativos e idealizado com a desafiadora missão de formar as futuras lideranças em tecnologia que irão ajudar a transformar o Brasil, o Inteli é resultado da união de André Esteves, Roberto Sallouti e sócios do BTG Pactual com a proposta de oferecer ensino de ponta. O projeto foi criado a partir da doação de 200 milhões de reais pela família Esteves, e com apoio institucional do BTG Pactual.

A proposta é trabalhar três conjuntos de competências junto com os estudantes: computação, aprofundando em inteligência artificial, ciência de dados, segurança cibernética; negócios, abordando áreas como finanças corporativas, inteligência de mercado, marketing digital, people analytics e sustentabilidade; e em aspectos comportamentais como comunicação, ética e resiliência.

O objetivo é que os alunos aprendam, desde a primeira semana de aula, a causar impacto real na sociedade, orientados todo o tempo para buscar soluções para as ineficiências do mundo de forma prática.

Processo seletivo

Com início das atividades letivas previsto para fevereiro de 2022, o Inteli vai oferecer, inicialmente, quatro cursos de graduação presenciais: engenharia da computação, engenharia de software, ciências da computação e sistemas de informação. Divididos em 16 módulos, os cursos terão duração de quatro anos.

Para quem ficou interessado em participar do ambiente criativo, inovador, a boa notícia é que as inscrições para o processo seletivo podem ser feitas pelo site até o dia 2 de novembro. Estudantes de todo o país que estejam ou tenham concluído recentemente o terceiro ano do ensino médio podem garantir acesso à jornada de conhecimento exclusiva e aos conteúdos inéditos da instituição. 

Baseado em uma combinação de três eixos — perfil, prova e projeto —, o processo seletivo requer uma avaliação holística, que busca conhecer o aluno além das notas. Na etapa perfil, o candidato conta um pouco da sua história, desafios, como chegou até aqui e planos para o futuro.

A prova de matemática e lógica é exigente, objetiva e visa medir a agilidade mental e conhecimentos importantes de matemática. Na etapa de projeto, o candidato desenvolve em grupo uma solução tecnológica dentro de um tema à sua escolha, completando assim a trajetória para o ingresso no Inteli. Vencido o processo seletivo, o estudante será desafiado constantemente a causar um impacto real na sociedade.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | LinkedIn | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

Acompanhe tudo sobre:Ciência de DadosEducaçãoempresas-de-tecnologiaEngenhariaTecnologia da informação

Mais de Bússola

E se seu filho pudesse estudar empreendedorismo desde pequeno? Conheça escola que dá curso na área

Como a Arezzo&Co planeja rastrear 100% da sua cadeia de couro utilizando blockchain

Bússola Poder: Lula paga a conta de Lula e Dilma

Bússola Cultural: Festival de Inverno de Campos do Jordão chega à sua 54ª edição

Mais na Exame