Acompanhe:

Acelere o desenvolvimento com low code: veja 4 vantagens

Head de Produtos da Zeev comenta principais vantagens na hora de escolher as ferramentas de pouco código

Modo escuro

Continua após a publicidade
Programação: Plataformas em low-code irão representar 75% do total de softwares desenvolvidos em 2024, aponta estudo (Stanislaw Pytel/Royalty-free/Getty Images)

Programação: Plataformas em low-code irão representar 75% do total de softwares desenvolvidos em 2024, aponta estudo (Stanislaw Pytel/Royalty-free/Getty Images)

B
Bússola

Publicado em 5 de dezembro de 2021 às, 15h25.

Por Rafael Bortolini*

Plataformas low-code (ou plataformas de pouco código) são tendência em todo o mundo e têm ganhado cada vez mais espaço entre as empresas. Como um movimento tecnológico e social, permite a criação de aplicativos corporativos com pouca ou nenhuma programação de códigos, em contraponto à realidade de alta dependência de programadores e profissionais técnicos, cada vez mais disputados no mercado.

“A Zeev acredita que qualquer pessoa pode facilitar a sua rotina de trabalho. Colocamos nas mãos das pessoas o superpoder de criar seu próprio software e aplicativos”, descreve Rafael Bortolini, Head de Produtos da Zeev, empresa referência em low-code no Brasil. “Plataformas low-code permitem que as empresas consigam se modernizar de forma mais ágil, já que existe um grande déficit de mão-de-obra de TI no mercado e os bons profissionais são muito disputados.

O desenvolvimento de softwares com low-code se assemelha muito ao montar de peças de um Lego, onde a criação é feita de acordo com as características de cada peça e de acordo com o que você deseja formar. O importante é que o resultado funcione e todas as peças se encaixem perfeitamente. Com um simples arrastar e soltar, essas peças gráficas se transformam em um aplicativo automatizado.

Segundo pesquisa realizada pela Forrester Research, empresa que realiza estudos de mercado sobre o impacto existente e potencial da tecnologia, plataformas em low-code irão representar 75% do total de softwares desenvolvidos em 2024. Para Bortolini, “a liberdade e a transparência nos levou a desenvolver um produto que pudesse ter mais aderência e maior utilização dentro das empresas de maneira rápida e objetiva.”

A democratização e a velocidade são os diferenciais envolvendo a utilização de low-code e os serviços prestados pela Zeev. Como referência nesse setor no mercado brasileiro, o Head elenca quatro vantagens de aderir a esta tendência:

1. Desenvolvimento acelerado

O uso de plataformas low-code permite que pessoas e empresas concentrem suas energias na entrega dos resultados. Estudos preliminares indicam um ganho de dez vezes na velocidade de entrega de aplicativos e aumento geral da produtividade na entrega de soluções automatizadas.

2. Autonomia ao desenvolvedor cidadão

De acordo com uma pesquisa da Forrester, publicada em 2020, em 65% das organizações, a área de TI não consegue concluir tudo aquilo que é pedido pelas áreas de negócios, por conta da grande demanda de projetos. Ao escolher qual caminho seguir e qual estratégia utilizar com as ferramentas low-code, as empresas podem colocar na prática a melhoria contínua e a criação de aplicativos por profissionais que não são desenvolvedores. “Com a tecnologia low-code os citizen developers, ou desenvolvedores cidadãos, podem automatizar e padronizar fluxos de trabalho de forma autônoma, sem depender exclusivamente da ajuda de área da TI”, diz Rafael Bortolini.

3. Retorno financeiro

De acordo com um estudo realizado pela McKinsey, empresa norte-americana de consultoria empresarial, as empresas que se destacam na velocidade e qualidade no desenvolvimento dos softwares apresentam diferenças substanciais em termos de resultados financeiros, comparadas com as que não estão dando a devida atenção a esta questão. “O investimento em tecnologia low-code em comparação ao retorno é impressionante. Um de nossos clientes obteve um retorno sete vezes maior que o investido. Ou seja, é muito vantajoso utilizar uma ferramenta de pouco código, pois você ganha em mais velocidade e retorno sobre o investimento”, comenta Rafael.

4. Otimização de processos internos

Por permitir que qualquer pessoa possa criar um software que facilite e otimize as rotinas de trabalho, independentemente da área de atuação, o low-code é um grande aliado para o gerenciamento de processos internos. “Seja dentro de um hospital ou na operação de um banco, a automatização de processos se torna muito mais possível com o pouco código, e pautada pelas necessidades reais das empresas. O que nos motiva muito em nosso trabalho com a Zeev é a possibilidade de ajudar com essa revolução em curso”, declara Rafael Bortolini.

*Rafael Bortolini é Head de produtos da Zeev

 

Siga a Bússola nas redes: Instagram | LinkedIn | Twitter | Facebook | Youtube

Últimas Notícias

Ver mais
Clube CHRO: Qual será o maior desafio do Brasil nos próximos anos?
seloCarreira

Clube CHRO: Qual será o maior desafio do Brasil nos próximos anos?

Há 2 dias

“A minha carreira começou na infância”, diz Tarcísio Zanon, carnavalesco da Viradouro, campeã do Rio
seloCarreira

“A minha carreira começou na infância”, diz Tarcísio Zanon, carnavalesco da Viradouro, campeã do Rio

Há 2 semanas

Gosta de programação? Confira as 5 linguagens mais populares do mundo
Um conteúdo Bússola

Gosta de programação? Confira as 5 linguagens mais populares do mundo

Há 3 semanas

Cinco tendências que sinalizam o rumo da tecnologia em 2024
seloCarreira

Cinco tendências que sinalizam o rumo da tecnologia em 2024

Há 2 meses

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais