Brasil

Tarcísio volta a defender privatização do Porto de Santos

Além de enfatizar os benefícios que a privatização traria para a competitividade do porto, Tarcísio, ao defender a privatização, comentou que a Baixada Santista se tornou pobre

Tarcísio de Freitas: governador apontou a necessidade de o Estado atrair investimentos em energia (Alberto Ruy/MInfra/Flickr)

Tarcísio de Freitas: governador apontou a necessidade de o Estado atrair investimentos em energia (Alberto Ruy/MInfra/Flickr)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 27 de fevereiro de 2023 às 15h22.

O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), voltou a defender nesta segunda-feira, 27, a privatização do Porto de Santos, no litoral paulista, como o caminho para levar prosperidade à região. "Quero privatizar o Porto de Santos porque isso é a diferença entre prosperidade e pobreza na Baixada Santista", declarou o governador ao participar de fórum realizado pelo grupo Voto.

Além de enfatizar os benefícios que a privatização traria para a competitividade do porto, Tarcísio, ao defender a privatização, comentou que a Baixada Santista se tornou pobre, com a habitação marcada pela presença de casas de palafitas, e comandada pelo crime organizado.

Ao citar o desenvolvimento econômico entre os pilares de seu governo, ele apontou a necessidade de o Estado atrair investimentos em energia, uma vez que traz de fora 70% do que consome em energia. "São Paulo tem que ser locomotiva e não uma Maria Fumaça", disse.

O governador frisou ainda que a qualificação da mão de obra não pode depender apenas de serviços mantidos pela indústria, casos de Sesi e Senai. Nesse sentido, assinalou que o governo estadual vai "apostar muito" na capacidade do setor público para fazer o Estado crescer.

Acompanhe tudo sobre:Porto de SantosTarcísio Gomes de Freitas

Mais de Brasil

Chuva deve voltar ao Rio Grande do Sul nesta segunda-feira

Apenas 11% das escolas têm internet na velocidade certa, diz pesquisa

Julgamento que pode cassar Jorge Seif ficará para Cármen Lúcia após saída de Moraes do TSE

Rio Grande do Sul: Defesa Civil contabiliza 200 toneladas de alimentos doados

Mais na Exame