São Paulo é metrópole com mais moradores de favelas do Brasil, segundo o IBGE

Região metropolitana tem 2 milhões pessoas, o equivalente a 11% da população, vivendo favelas e outros assentamentos irregulares

São Paulo - A região metropolitana de São Paulo é a área com maior número de pessoas vivendo em favelas do Brasil, segundo dados do censo de 2010 divulgados pelo IBGE.

Segundo o estudo que mapeia os “aglomerados subnormais” - assentamentos irregulares conhecidos como favelas, invasões, grotas, baixadas, comunidades, vilas, ressacas, mocambos, palafitas, entre outros – no país, São Paulo tem mais de 2 milhões pessoas vivendo nestas áreas.

Apesar de ter o maior número absoluto de moradores ocupando favelas, a área metropolitana, com seus 19 milhões de habitantes, registra uma taxa de 11% da população vivendo em aglomerados subnormais – bem abaixo de metrópoles como Belém, que tem mais da metade da população (53,9%) vivendo nessas áreas, Salvador (26,1%), São Luís (24,5%) e Recife (23,2%).

Segundo Claudio Stenner, gerente de regionalização do IBGE, é importante chamar atenção para a desigualdade na distribuição destes aglomerados. “A concentração é muito grande em alguns locais, que devem ser observados com atenção”, destaca. 

O pesquisador também ressalta a necessidade de olhar para diversidade dos tipos de aglomerados existentes no país. “Tem áreas muito densas, como as favelas de Rio e São Paulo, com as quais estamos acostumados, mas há também alguns terrenos muito pequenos e difusos”, aponta. 

“O conhecimento dessa diversidade é fundamental, porque as demandas e as políticas publicas necessárias variam muito de acordo com as características de cada local”, enfatiza.

Os dados, divulgados nesta quarta-feira, mostram que, em 2010, 6% da população brasileira, o equivalente a 11 milhões de pessoas, vivam em favelas e outros assentamentos irregulares.

De acordo com dados coletados, o país possuía, na época, 6.329 aglomerados subnormais, localizados em 323 dos 5.565 municípios brasileiros. Nestas áreas, foram mapeados 3,2 milhões de domicílios, a maioria (88,6%) concentrados em vinte regiões metropolitanas. Veja quais são elas:
 

Região metropolitana População residente em aglomerados subnormais Proporção em relação à população total
São Paulo  2.162.368  11%
Rio de Janeiro 1.702.073 14,4%
Belém 1.131.368 53,9%
Salvador 931.662 26,1%
Recife 852.700 23,2%
Belo Horizonte 489.281 9,1%
Fortaleza 430.207 11,9%
Grande São Luís 325.139 24,5%
Manaus 315.415 15%
Baixada Santista 287.191 17,9%
Porto Alegre  242.784  6,2%
Curitiba 181.247 5,7%
Grande Vitória 178.209 10,6%
Campinas 160.670 5,8%
Grande Teresina 154.385 13,4%
Distrito Federal e entorno 137.072 3,7%
Maceió 121.920 10,6%
João Pessoa 101.888 8,5%
Aracaju 82.208 9,8%
Natal 80.774 6%

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também