“Vai colocar dinheiro?”, diz Salles a DiCaprio após críticas ao Brasil

Ativista ambiental e crítico da política de Bolsonaro para o meio-ambiente, DiCaprio usou a hashtag #AmazonOrBolsonaro em suas redes sociais

O Ministro do Meio-Ambiente, Ricardo Salles, respondeu em inglês ao ator Leonardo DiCaprio no Twitter após novas críticas à gestão ambiental do presidente Jair Bolsonaro.

Nesta semana, DiCaprio usou a hashtag #AmazonOrBolsonaro (Amazônia ou Bolsonaro) e #Defund Bolsonaro (não financie Bolsonaro) para criticar o governo brasileiro. A hashtag era um dos assuntos mais comentados no Twitter no Brasil na manhã desta quinta-feira, 10.

“Caro @LeoDiCaprio, o Brasil está lançando o projeto de preservação ‘Adote Um Parque’, que permite a você ou qualquer outra empresa ou indivíduo escolher um dos 132 parques na Amazônia e parociná-lo diretamente por 10 euros por hectare por ano. Você vai colocar seu dinheiro onde sua boca está?”, escreveu o ministro na mensagem, em inglês.

A hashtag #DefundBolsonaro foi lançada após campanha global Articulação dos Povos Indígenas do Brasil. Uma campanha da organização afirma que empresas globais, ao não se posicionarem, estão sendo coniventes com a degradação ambiental no Brasil.

No vídeo, a campanha pergunta a “todos os cidadãos, governos e pessoas ao redor do mundo: ‘De que lado você está: da Amazônia ou de Bolsonaro?” ‘De que lado você está: da Amazônia ou de Bolsonaro?”. O vídeo foi retuitado por DiCaprio.

O ator de “Titanic” e “O Regresso” é ativista ambiental e já havia criticado outras vezes a gestão do governo Bolsonaro. No ano passado, o presidente chegou a dizer, sem provas, que o ator doou dinheiro para “tacar fogo na Amazônia”. “Agora, Leonardo Dicaprio é um cara legal, né? Dando dinheiro para tacar fogo na Amazônia”, declarou o presidente a apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada em novembro.

Salles também foi alvo de críticas pela gestão à frente do Ministério do Meio Ambiente. Neste ano, grupos de investidores se reuniram repetidas vezes com o governo cobrando ações mais rigorosas contra a degradação ambiental no Brasil. Na reunião ministerial cujo vídeo foi divulgado neste ano, Salles aparece dizendo que é preciso aproveitar a atenção midática frente ao coronavírus para “passar a boiada” e flexiblizar a legislação ambiental. 

Além da Amazônia, o presidente enfrenta pressão nas últimas semanas também com relação ao Pantanal, que sofre a pior temporada de queimadas de sua história e já teve 12% da área destruída, o equivalente a 12 cidades de São Paulo.

Em um vídeo que passou a circular nas redes sociais e a ser citado pela oposição, o presidente Bolsonaro aparece em uma reunião ministeral, sentado ao lado de uma criança, rindo sobre a situação do Pantanal. “Tá pegando fogo no Pantanal?”, pergunta a menina. Em resposta, Bolsonaro e participantes da reunião começam a rir — entre eles o vice-presidente Hamilton Mourão, que também lidera os esforços de combate ao desmatamento na Amazônia. Uma pessoa não identificada na sala responde que “tá pegando fogo, mas o presidente mandou dez aviões lá para ajudar a apagar”.

 

Espera! Tem um presente especial para você.

Uma oferta exclusiva válida apenas nesta Black Friday.

Libere o acesso completo agora mesmo com desconto:

exame digital

R$ 15,90/mês

R$ 6,36/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

R$ 40,41/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.