Brasil

Rodoviários de Natal decidem manter greve em dia de jogo

Rodoviários de Natal decidiram manter a greve hoje, dia de jogo na Arena das Dunas entre México e Camarões


	Arena das Dunas: rodoviários pedem reajuste salarial e elevação do valor do vale-alimentação
 (Wkimedia Commons)

Arena das Dunas: rodoviários pedem reajuste salarial e elevação do valor do vale-alimentação (Wkimedia Commons)

DR

Da Redação

Publicado em 13 de junho de 2014 às 12h32.

Brasília - Os rodoviários de Natal decidiram manter a greve hoje (13), dia de jogo na Arena das Dunas, entre México e Camarões, às 13h.

Apesar de manter a greve, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Rio Grande do Norte (Sintro-RN), Nastagnan Batista, garantiu que a categoria está cumprindo a determinação do Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região (TRT-RN) de manutenção de, no mínimo de 70% da frota nos horários de pico (das 5h às 9h e das 16h às 20h) e 50% nos demais horários.

Na assembleia realizada hoje foi decidido manter a paralisação, iniciada ontem (12).

“A greve continua, mas respeitando da decisão do TRT”, disse Batista. Na próxima quarta-feira (18), haverá audiência de conciliação do dissídio coletivo entre motoristas e empresas.

Batista disse que a categoria não está aproveitando o momento em que a cidade recebe jogos da Copa para fazer a greve.

“A nossa data base é 1º de maio. Tentamos negociar por 35 dias e não houve avanço”, disse.

Ontem, uma tentativa de negociação, intermediada pelo Ministério Público do Trabalho, foi frustrada.

A proposta negociada na reunião era a suspensão da greve enquanto durar a Copa do Mundo, com concessão de abono de 5,82%.

“Foi oferecido abono e não aumento de salário. Isso ficou inviável para a categoria”, disse.

Os rodoviários pedem reajuste salarial de 16% e elevação do valor do vale-alimentação de R$ 197,35 para R$ 450.

As empresas argumentam que não têm condições de conceder estes reajustes, tendo em vista que o valor da tarifa de ônibus em Natal não tem aumento há 42 meses.

Ontem a secretária de Mobilidade Urbana de Natal, Elequicina dos Santos, disse que autorizaria a partir de hoje, empresas de transporte escolar, veículos utilitários com dez lugares e taxis a fazerem o transporte de passageiros no lugar dos ônibus.

“Vamos fazer isto para ver se amenizamos o sofrimento da população”, disse.

Segundo a secretária, 150 mil passageiros usam o transporte na cidade e há previsão de que 60 mil turistas precisem do serviço durante a Copa. A frota tem cerca de 660 ônibus.

Acompanhe tudo sobre:cidades-brasileirasCopa do MundoEsportesFutebolGrevesNatal (RN)Transporte público

Mais de Brasil

Enel confirma a Lula investimento de R$ 20 bi para acabar com apagões

Enchentes paralisaram 63% das indústrias gaúchas, revela pesquisa

Prejuízos com chuvas no RS superam R$ 12 bilhões; setor habitacional é o mais afetado

Presidente do Solidariedade, alvo de operação da PF, se entrega em Brasília

Mais na Exame