Brasil

Roberto Jefferson e mais 6 são acusados de desvios em Furnas

Entre os envolvidos estão empresários, lobistas e políticos, que teriam desviado R$ 54,9 milhões na contratação de empresas para a construção de usinas


	Furnas: entre os envolvidos estão empresários, lobistas e políticos, que teriam desviado R$ 54,9 milhões
 (Paulo Whitaker/Reuters)

Furnas: entre os envolvidos estão empresários, lobistas e políticos, que teriam desviado R$ 54,9 milhões (Paulo Whitaker/Reuters)

DR

Da Redação

Publicado em 27 de fevereiro de 2016 às 16h37.

Rio - O ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB) e mais seis acusados foram indiciados pela Delegacia Fazendária (Delfaz) por cometerem crime de corrupção ativa e lavagem de dinheiro na estatal elétrica Furnas, do grupo Eletrobras.

A indicação foi apresentada hoje ao Ministério Público Estadual (MPE), após dez anos do surgimento das primeiras informações sobre o esquema que ficou conhecido como "a lista de Furnas".

Entre os envolvidos estão empresários, lobistas e políticos, que, segundo a delegada de polícia Renata Araújo, responsável pelo caso, teriam desviado R$ 54,9 milhões na contratação de empresas para a construção de usinas térmicas nos municípios fluminenses de São Gonçalo e Campos dos Goytacazes.

O esquema ocorreu no período de 2000 a 2004, sob a liderança do então diretor de Planejamento, Engenharia e Construção, Dimas Fabiano Toledo, que não chegou a ser indiciado por ter mais de 70 anos e, por isso, ser coberto pelo benefício de prescrição do crime.

Além de Jefferson, são acusados os lobistas Nilton Antônio Monteiro, Pedro Pereira Terra, Walter Annicchino, Sérgio José Annicchino, Dieikson Barbosa e Ademir Carnevalli Guimarães.

O relatório da Delfaz contém 38 páginas, entregues ao MPE junto com 28 caixas do inquérito, iniciado na Justiça Federal. Em nota, a delegacia informa que "há provas (da existência) de um esquema de arrecadação de vantagens indevidas (propinas)."

Obras e serviços contratados por Furnas teriam sido superfaturados para permitir "o financiamento de campanhas políticas" e também para promover o "enriquecimento ilícito de agentes públicos, políticos, empresários e lobistas".

Roberto Jefferson não foi localizado pela equipe de reportagem para comentar a acusação.

Acompanhe tudo sobre:CorrupçãoEletrobrasEmpresasEmpresas estataisEnergia elétricaEscândalosEstatais brasileirasFraudesFurnasHoldingsLavagem de dinheiroServiços

Mais de Brasil

São Paulo tem queda de temperatura e chuva no fim de semana; veja previsão para os próximos dias

Rio Grande do Sul investiga mais de 800 casos de leptospirose

Onda de frio aumenta risco de geadas no RS, e temperaturas devem diminuir ainda mais; veja previsão

Mais na Exame