Brasil

Prefeito de BH confirma mortes e decreta luto de 3 dias

Marcio Lacerda disse que é "normal" ter o trânsito liberado durante obras e que "acidentes acontecem"

Equipes de resgate trabalham para retirar um carro debaixo do viaduto que desabou em Belo Horizonte (Carlos Greco-DYN/Reuters)

Equipes de resgate trabalham para retirar um carro debaixo do viaduto que desabou em Belo Horizonte (Carlos Greco-DYN/Reuters)

DR

Da Redação

Publicado em 3 de julho de 2014 às 19h43.

Belo Horizonte - O prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda, chegou ao local onde desabou o viaduto na capital mineira nesta quinta-feira, 3, e em uma rápida coletiva decretou luto de três dias na cidade e disse que é "normal" ter o trânsito liberado durante obras e que "acidentes acontecem".

"Pode ser possível falha do projeto. (...) É normal ter o trânsito liberado em viadutos que estão em acabamento. Acidentes como esse acontecem. Momento é de aprender com o erro", disse.

O prefeito chegou ao local para acompanhar os resgates das vítimas na Avenida Pedro I, no Bairro São João Batista, região de Venda Nova. Ele confirmou duas mortes no acidente e afirmou que a obra estava sendo acompanhada pela prefeitura e por engenheiros responsáveis.

"Mas a obra não estava sendo feita pela Prefeitura, foi feita por uma construtora renomada, que ganhou licitação. Mas houve falha, com certeza", falou, se referindo à Construtora Cowan.

Numa primeira nota, a construtora lamentava o ocorrido e informava o envio de uma equipe técnica ao local para iniciar as investigações e definir as causas do acidente.

Num novo comunicado, a empresa disse que as equipes foram direcionadas para a remoção da estrutura, "inclusive providenciando iluminação e demais suportes necessários à realização dos trabalhos, que devem se estender pelos próximos dias" e que já está sendo providenciado o escoramento do segundo viaduto.

Acompanhe tudo sobre:acidentes-de-transitoBelo Horizontecidades-brasileirasDesabamentosMinas Geraismobilidade-urbanaTrânsito

Mais de Brasil

Pressionado por 'efeito Marçal', Nunes anuncia coronel da Rota como vice nesta sexta

Toffoli abre divergência e STF não forma maioria para descriminalizar porte de maconha

Moraes Arquiva Inquérito contra Google e Telegram sobre PL das Redes Sociais

Governo autoriza uso da Força Nacional no RS por 30 dias

Mais na Exame