Brasil

Pode faltar combustível em aeroportos no feriado, diz associação

De acordo com a entidade, o transporte aéreo também pode ser impactado pela dificuldade de chegada de profissionais, tripulantes e passageiros aos aeroportos

 (Victor Moriyama/Bloomberg/Getty Images)

(Victor Moriyama/Bloomberg/Getty Images)

AO

Agência O Globo

Publicado em 1 de novembro de 2022 às 12h18.

Última atualização em 1 de novembro de 2022 às 12h19.

A Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) alerta que, caso as paralisações nas estradas continuem, o setor poderá sofrer com desabastecimento de combustível ao longo do feriado.

De acordo com a entidade, o transporte aéreo também pode ser impactado pela dificuldade de chegada de profissionais, tripulantes e passageiros aos aeroportos, inviabilizando a operação e prejudicando, ainda, atividades essenciais como o transporte gratuito de órgãos para transplantes e o envio de cargas.

Por nota, a Abear disse que “se coloca à disposição das autoridades para auxiliar nas medidas necessárias para minimizar eventuais transtornos”. A orientação é que os passageiros se desloquem com antecedência para os aeroportos.

Os impactos também já estão afetando alguns voos. No aeroporto internacional de Guarulhos, em razão da manifestação na Rodovia Hélio Smidt, até esta manhã 25 voos foram cancelados, sendo 12 ontem e 13 nesta terça-feira. “A GRU Airport, concessionária do Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, orienta os passageiros a verificarem a situação de seus voos com as companhias aéreas.

Já o Aeroporto Internacional de Belo Horizonte e o Aeroporto de Brasília estão operando normalmente.

ACOMPANHE AO VIVO: Paralisação dos caminhoneiros continua pelo Brasil

Acompanhe tudo sobre:Aeroporto de GuarulhosAviaçãoCaminhoneiros

Mais de Brasil

Professores decidem manter greve nas universidades federais após nova oferta do governo Lula

Ao lado de Bolsonaro, Tarcísio e provável vice, Nunes diz que chapa será anunciada na semana que vem

FAB encerra neste sábado recebimento de doações ao Rio Grande do Sul

Censo 2022: Brasil tem 106,8 milhões de endereços, um aumento de 19,5% em relação ao Censo anterior

Mais na Exame