Brasil

Planalto anuncia rede de apoio econômico para reconstruir Museu Nacional

Em nota, o governo informa que a rede será formada por entidades financeiras e empresas públicas e privadas

Palácio do Planalto anunciou a criação de uma rede de apoio econômico para viabilizar a reconstrução do Museu Nacional (Tânia Rego/Agência Brasil)

Palácio do Planalto anunciou a criação de uma rede de apoio econômico para viabilizar a reconstrução do Museu Nacional (Tânia Rego/Agência Brasil)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 3 de setembro de 2018 às 13h15.

Última atualização em 3 de setembro de 2018 às 13h16.

O Palácio do Planalto anunciou na tarde desta segunda-feira, 3, a criação de uma rede de apoio econômico para viabilizar a reconstrução do Museu Nacional, destruído em um incêndio neste domingo.

Em nota, o governo informa que a rede será formada por entidades financeiras e empresas públicas e privadas.

Compõem inicialmente essa parceria em prol da memória nacional a Febraban, Bradesco, Itaú, Santander, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, Vale e Petrobras.

De acordo com o governo, outros parceiros podem se juntar à rede no futuro.

A nota diz ainda que os ministérios da Educação e Cultura avaliam como as empresas poderão se associar na reconstrução do edifício do museu e na recomposição do acervo que foi perdido. Uma das alternativas será usar a Lei Rouanet.

Acompanhe tudo sobre:IncêndiosMuseusRio de Janeiro

Mais de Brasil

Manifestantes contrários ao PL Antiaborto voltam a ocupar ruas

Nova bolsa de valores, 'epicentro' de data centers e inovação: as apostas do Rio para crescer

Em Porto Alegre, Defesa Civil alerta para risco de novos temporais com ‘ventos intensos’ e granizo

Ministério da Saúde amplia vacinação contra dengue; veja nova faixa etária

Mais na Exame