Acompanhe:

PF faz operação contra fraudes de R$ 208 mi no BRT do DF

A ação investiga um esquema de corrupção envolvendo agentes públicos e construtoras que atuavam em obras públicas no Distrito Federal

Modo escuro

Continua após a publicidade
BRT DF: a operação investiga o pagamento de vantagens financeiras indevidas a autoridades públicas (Ministério do Planejamento/Governo/Divulgação)

BRT DF: a operação investiga o pagamento de vantagens financeiras indevidas a autoridades públicas (Ministério do Planejamento/Governo/Divulgação)

E
Estadão Conteúdo

Publicado em 11 de maio de 2018 às, 09h53.

São Paulo - A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta sexta-feira, 11, a 2ª fase 2 da Operação Panatenaico. A ação investiga um esquema de corrupção envolvendo agentes públicos e construtoras que atuavam em obras públicas no Distrito Federal.

A PF suspeita que o grupo criminoso realizou, como resultado de fraudes no processo licitatório das obras do BRT-Sul, o pagamento de vantagens financeiras indevidas a autoridades públicas.

Laudos da Polícia Federal constataram o direcionamento e a fraude no processo licitatório, enquanto auditorias do Tribunal de Contas do Distrito Federal e pela Controladoria Geral do DF apontaram um superfaturamento de aproximadamente R$ 208 milhões, cerca de 25% do custo total do empreendimento fraudado.

Em nota, a PF informou que os fatos investigados configuram, assim, a prática dos delitos de corrupção passiva e ativa (artigos 317 e 333 do Código Penal Brasileiro), associação criminosa (artigo 288 do CPB), fraudes licitatórias (Lei 8.666/93) e lavagem de dinheiro (Lei 12.683/13).

Nesta fase estão sendo cumpridos 15 mandados de buscas e apreensões, sendo 13 em Brasília, um em Ribeirão Preto (SP) e um em São Paulo. Em razão da dimensão dos desvios investigados, da complexidade dos crimes e do volume de documentos que se projeta encontrar, a PF optou por utilizar na 2ª fase da Operação Panatenaico uma doutrina investigativa que dá maior ênfase à multiplicação das oportunidades para a investigação policial, realizando a análise da pertinência dos documentos e mídias, além de outros atos de apuração, nos próprios locais de busca, aumentando a agilidade, eficácia e a transparência do trabalho de investigação policial.

O nome da operação é uma referência ao Stadium Panatenaico, sede dos jogos panatenaicos, competições realizadas na Grécia Antiga que foram anteriores aos Jogos Olímpicos. A história desta arena utilizada para a prática de esportes pelos helênicos, tida como uma das mais antigas do mundo, remonta à época clássica, quando estádio ainda tinha assentos de madeira.

A construção foi toda remodelada em mármore, por Arconte Licurgo, no ano 329 a.C. e foi ampliado e renovado por Herodes Ático, no ano 140 d.C., com uma capacidade de 50 mil assentos. Os restos da antiga estrutura foram escavados e restaurados, com fundos proporcionados para o renascimento dos Jogos Olímpicos. O estádio foi renovado pela segunda vez em 1895 para os Jogos Olímpicos de 1896.

1ª fase

Em agosto do ano passado, três meses após a deflagração da 1ª fase dessa operação, a Polícia Federal concluiu o inquérito relativo ao superfaturamento, em R$ 559 milhões, das obras do Estádio Nacional Mané Garrincha e indiciou 21 pessoas pelos crimes de peculato, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro, organização criminosa e fraude licitatória.

Entre os indiciados, estavam os ex-governadores Agnelo Queiroz (PT) e José Roberto Arruda (PR), além do ex-vice-governador Tadeu Filippelli (PMDB).

Últimas Notícias

Ver mais
Lula reitera a chanceler russo disposição do Brasil de colaborar para um acordo de paz na Ucrânia
Brasil

Lula reitera a chanceler russo disposição do Brasil de colaborar para um acordo de paz na Ucrânia

Há 10 horas

Mortes de Ianomâmis em 2023 superam 2022 e governo anuncia hospital exclusivo para indígenas
Brasil

Mortes de Ianomâmis em 2023 superam 2022 e governo anuncia hospital exclusivo para indígenas

Há 11 horas

Após tomar posse no STF, Dino diz que vai atuar com isenção e defende harmonia entre os Poderes
Brasil

Após tomar posse no STF, Dino diz que vai atuar com isenção e defende harmonia entre os Poderes

Há 11 horas

PF prende três homens por suspeita de ajudar os dois fugitivos do presídio federal de Mossoró
Brasil

PF prende três homens por suspeita de ajudar os dois fugitivos do presídio federal de Mossoró

Há 13 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais