Brasil

PF apreende 8 mil garrafas de vinho contrabandeadas; bebida era vendida pela metade do preço

Carga ainda será avaliada pela Receita Federal para estimativa de valores

Vinhos: PF apreende 8 mil garrafas da bebida contrabandeadas (Photo by Rafa Elias/Getty Images)

Vinhos: PF apreende 8 mil garrafas da bebida contrabandeadas (Photo by Rafa Elias/Getty Images)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 20 de dezembro de 2023 às 20h12.

Última atualização em 20 de dezembro de 2023 às 20h13.

Oito mil garrafas de vinho foram apreendidas pela Polícia Federal nesta quarta-feira, 20, em Macaé, no norte fluminense, durante a Operação Estáfilo, de combate ao comércio de bebidas contrabandeadas no Estado do Rio. A carga ainda será avaliada pela Receita Federal para estimativa de valores.

Segundo as investigações, conduzidas pela Delegacia da Polícia Federal em Macaé, os vinhos ingressavam irregularmente no Brasil sem a chancela e o controle do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Por isso, eram vendidos em média pela metade do preço de mercado, afirma a PF.

Os agentes cumpriram cinco mandados de busca e apreensão em endereços residenciais e comerciais em Macaé. As ordens foram expedidas pela 2.ª Vara Federal de Campos dos Goytacazes, na mesma região do Estado. Além das garrafas de vinho, também foram apreendidos R$ 32,8 mil em dinheiro e 19 cheques, que somam R$ 1 milhão. Os agentes também recolheram documentos e telefones celulares.

Um homem foi preso em flagrante acusado pelo crime de descaminho que é o desvio de mercadoria para evitar a tributação. O homem foi liberado após o pagamento de fiança no valor de R$ 50 mil. Seu nome não foi divulgado. Ele também será investigado por contrabando.

Na mitologia grega, Estáfilo, que dá nome à operação, era um dos filhos de Dionisio, o Deus do Vinho.

Acompanhe tudo sobre:Polícia FederalVinhos

Mais de Brasil

Comissão da Câmara aprova projeto que autoriza estados a legislarem sobre posse e porte de armas

Barroso nega impor câmeras corporais a policiais de SP após 'compromisso' de Tarcísio

Lula cobra Anac e GOL por morte de cachorro em voo: 'Tem que prestar contas'

Após morte de cachorro, ministro vai convocar aéreas para endurecer regras no transporte de animais

Mais na Exame