Acompanhe:

Pesquisa para presidente: Lula lidera com 41% em MG; Bolsonaro tem 35%

Para a pesquisa EXAME/IDEIA, foram ouvidas 1.000 pessoas do estado de Minas Gerais entre os dias 1º e 6 de julho

Modo escuro

Continua após a publicidade
Bolsonaro e Lula: presidente venceu em 2018 em Minas, e agora petista tem vantagem. (Alan Santos/Ricardo Stuckert/Flickr)

Bolsonaro e Lula: presidente venceu em 2018 em Minas, e agora petista tem vantagem. (Alan Santos/Ricardo Stuckert/Flickr)

G
Gilson Garrett Jr

Publicado em 7 de julho de 2022 às, 00h18.

Última atualização em 7 de julho de 2022 às, 00h21.

Nas últimas eleições presidenciais, o postulante ao Palácio do Planalto que venceu em Minas Gerais, saiu também vitorioso nacionalmente. Se em 2018, o presidente Jair Bolsonaro (PL) venceu entre os mineiros, a situação pode não se repetir em 2022. De acordo com a pesquisa eleitoral EXAME/IDEIA, divulgada nesta quinta-feira, 7, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lidera em Minas Gerais, com 41%, e Bolsonaro tem 35%, no primeiro turno.

Logo depois dos dois está Ciro Gomes, com 7%, Simone Tebet (MDB), com 3%, e André Janones (Avante), com 2%. Os demais nomes pontuaram 1%, ou ficaram abaixo disso. Brancos e nulos somam 5%, mesmo valor dos que ainda não sabem. Todos os números são de uma pergunta estimulada, em que o eleitor precisa indicar um nome em uma pré-lista.

Para a pesquisa, foram ouvidas 1.000 pessoas do estado de Minas Gerais entre os dias 1º e 6 de julho. As entrevistas foram feitas por telefone, com ligações tanto para fixos residenciais quanto para celulares. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número BR-00040/2022. O registro original foi feito no dia 1º de julho. A EXAME/IDEIA é um projeto que une EXAME e o IDEIA, instituto de pesquisa especializado em opinião pública. Leia o relatório completo.

(Arte/Exame)

Em uma pergunta espontânea, em que o eleitor precisa dizer o primeiro nome que lembra, Lula tem 33%, e Bolsonaro, 25%. Todos os outros nomes somados pontuam 5%. Os que não sabem são 20%.

(Arte/Exame)

Cila Schulman, vice-presidente do instituto de pesquisa IDEIA, destaca que Minas Gerais sempre foi o chamado pêndulo da eleição nacional. E não é só a posição estratégica que é importante do ponto de vista eleitoral, os números também são significativos. De acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral de 2020, Minas Gerais é o segundo maior colégio eleitoral do país, com 16 milhões de eleitores, só atrás de São Paulo, que tem 33 milhões.

“O estado de Minas Gerais é considerado um estado síntese do Brasil, onde convivem alguns dos maiores índices de pobreza, analfabetismo e mortalidade infantil do país - nas regiões Norte e Vale do Jequitinhonha e Mucuri -, versus os menores índices nestes indicadores socioeconômicos, em regiões ricas como Triângulo e Central”, explica.

EXAME/IDEIA ainda fez uma simulação de segundo turno entre Lula e Bolsonaro. O ex-presidente tem 50%, e o atual ocupante do Palácio do Planalto aparece com 44%.

(Arte/Exame)

Nos números nacionais de primeiro turno, o petista tem 45% das intenções de voto, e Bolsonaro aparece com 36%. Ciro Gomes tem 7%, e Simone Tebet, 3%. Os números são da pesquisa eleitoral EXAME/IDEIA que foi divulgada no fim de junho, sob registro número BR-02845-2022. Para a sondagem em todo o Brasil, foram ouvidas 1.500 pessoas entre os dias 17 e 22 de junho.

Governo de MG: Luzema

Se o cenário nacional indica a preferência dos mineiros por Lula, a disputa ao governo coloca o atual governador, Romeu Zema (Novo), na liderança. O pré-candidato à reeleição deve contar com o apoio do presidente Bolsonaro, sendo assim, Minas Gerais pode eleger nomes com orientações diferentes para Presidência e ao Palácio Tiradentes.

LEIA TAMBÉM: Pesquisa para presidente: Lula tem 61% entre os mais pobres; Bolsonaro tem 50% entre mais ricos

Na sondagem ao governo, Zema tem 46%, e o ex-prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), aparece com 25%. Atrás deles estão Marcus Pestana (PSDB), com 6%, Carlos Viana (PL), com 5%, e Lorene Figueiredo (PSOL), com 2%. Os demais nomes pontuaram 1% cada. Brancos e nulos somam 5%, e os que não sabem são 8%.

A pesquisa estadual tem a mesma amostra da nacional, mas com registro no TSE sob número MG-08645/2022.

“Vinte anos depois do fenômeno Lulécio, quando os eleitores de Minas votaram na improvável dobradinha Lula (PT) para presidente e Aécio Neves (PSDB) para governador - fórmula repetida na reeleição de ambos, em 2006 - o estado pode agora protagonizar o voto batizado de Lulema ou Luzema. 37% dos eleitores de Lula consideram o governo Zema como bom e ótimo e 36% deles declaram votar no atual governador, mesmo que ele tenha sido eleito em 2018 alinhado ao presidente Bolsonaro”, explica Cila Schulman.

VEJA TAMBÉM

Últimas Notícias

Ver mais
Bússola de Poder: o saidão da Câmara
Um conteúdo Bússola

Bússola de Poder: o saidão da Câmara

Há 5 horas

Lula afirma que o Brasil voltará a vender 3,8 milhões de carros por ano
Economia

Lula afirma que o Brasil voltará a vender 3,8 milhões de carros por ano

Há 5 horas

Lula receberá pedido do presidente da Colômbia para vender derivados da maconha ao Brasil
Brasil

Lula receberá pedido do presidente da Colômbia para vender derivados da maconha ao Brasil

Há 6 horas

Com exportação para China, JBS investe R$ 150 milhões e duplica capacidade em frigorífico no MS
EXAME Agro

Com exportação para China, JBS investe R$ 150 milhões e duplica capacidade em frigorífico no MS

Há 8 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais