Acompanhe:

Padilha nega que Lira tenha pedido ministério da Saúde a Lula

Padilha confirmou que a reformulação dos ministérios do União Brasil está na pauta do governo, em meio à iminente demissão da ministra do Turismo, Daniela Carneiro

Modo escuro

Continua após a publicidade
Brasília (DF), 10-04-2023 – O ministro de Estado Chefe da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República, Alexandre Padilha, participa do programa Sem Censura da TV Brasil. Foto Valter Campanato/Agência Brasil. (Valter Campanato/Agência Brasil)

Brasília (DF), 10-04-2023 – O ministro de Estado Chefe da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República, Alexandre Padilha, participa do programa Sem Censura da TV Brasil. Foto Valter Campanato/Agência Brasil. (Valter Campanato/Agência Brasil)

O ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, disse que haverá uma reunião com líderes do União Brasil nesta semana, em meio ao desejo do partido de reformulação dos indicados à Esplanada. O ministro, contudo, negou que o presidente da Câmara Arthur Lira (PP-AL), tenha pedido a chefia do Ministério da Saúde.

"Em nenhum momento Arthur Lira reivindicou qualquer ministério, temos que ser justos em relação a isso", disse Padilha a jornalistas, após reunião no período da manhã com o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no Palácio da Alvorada. "Lula, em nenhum momento, colocou Ministério da Saúde como cota partidária de qualquer partido."

Padilha confirmou que a reformulação dos ministérios do União Brasil está na pauta do governo, em meio à iminente demissão da ministra do Turismo, Daniela Carneiro, e à nomeação do deputado federal Celso Sabino (União Brasil-PA) para os próximos dias.

No sábado, 17, o parlamentar se reuniu com o chefe do Executivo no Pará. O encontro foi o primeiro entre ambos. "Esse governo respeita parlamentares e quer o melhor diálogo possível", disse o ministro.

Apesar dos acenos de Lula de que haverá a substituição de Daniela no Turismo para melhorar a relação do governo na Câmara, especialmente com o União Brasil, deputados avaliam que a troca envolve uma pasta "pequena" e não resolve o problema do Executivo. Há algumas semanas, o Centrão já tem se movimentado para controlar o Ministério da Saúde, pasta com um orçamento de R$ 188,3 bilhões neste ano e que foi por muito tempo feudo do PP de Lira.

Votação do arcabouço é prioridade absoluta no Senado

Padilha disse ter expectativa que a votação do novo marco fiscal no Senado seja encerrada nesta semana. Na avaliação do ministro, a proposta está bem calibrada e combina responsabilidade fiscal e social e é a "prioridade absoluta no Senado". A proposta do arcabouço fiscal está prevista para ser votada pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) na terça-feira, 20. Em seguida, deve ir a plenário.

De acordo com Padilha, a reunião da manhã desta segunda-feira, 19, com o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, tratou sobre a agenda no Congresso para esta semana.

No Senado, há previsão de que a votação da Medida Provisória (MP) do Mais Médicos seja feita na terça, concluindo a recriação de todos os programas sociais, conforme plano traçado pelo governo. Para ele, há um ambiente favorável para a conclusão da votação.

Na Casa comandada por Rodrigo Pacheco (PSD-MG), também há expectativa da sabatina do advogado Cristiano Zanin, indicado de Lula para vaga no Supremo Tribunal Federal (STF).

A análise do governo, segundo Padilha, é de um ambiente muito positivo no Senado. De acordo com o ministro, a indicação de Zanin também foi bem recebida por senadores que fazem parte da oposição.

Já na Câmara, Padilha também citou a importância da votação do Projeto de Lei (PL) de urgência do Carf. De acordo com ele, o PL "passa a trancar a pauta nesta semana". "Na medida que tranca a pauta, há uma necessidade de votação o mais rápido possível", declarou. "É fundamental que relator do PL do Carf apresente parecer para negociar votação", afirmou o ministro.

CPMI dos Atos Golpistas

Padilha ainda comentou a previsão de a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Atos Golpistas ouvir nesta semana o ex-diretor da Polícia Rodoviária Federal (PRF) Silvinei Vasques. Ele é suspeito de bloquear estradas propositalmente no dia das eleições para prejudicar o então candidato à Presidência Luiz Inácio Lula da Silva.

O ministro afirmou que a CPMI vai "enterrar a teoria terraplanista" de transformar vítimas em culpados e vai provar que os atos golpistas começaram a ser planejados após as eleições, e não foram um acidente do dia 8 de janeiro.

Encontro de Lula com Alcolumbre e Pacheco

O chefe da articulação política do governo ainda esclareceu que não há previsão de encontro de Lula com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), e o senador Davi Alcolumbre, que estava prevista para esta segunda pela manhã.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Ministério da Saúde revoga nota sobre aborto legal
Brasil

Ministério da Saúde revoga nota sobre aborto legal

Há 3 dias

Gripe: Ministério da Saúde antecipa vacinação para final de março; saiba quem pode se vacinar
Brasil

Gripe: Ministério da Saúde antecipa vacinação para final de março; saiba quem pode se vacinar

Há 3 dias

Lira pauta urgência de PL que dá poder ao Congresso sobre concessões de distribuição de energia
Brasil

Lira pauta urgência de PL que dá poder ao Congresso sobre concessões de distribuição de energia

Há 5 dias

Ministério do Trabalho e Emprego suspende portaria sobre trabalho no comércio em feriados
Brasil

Ministério do Trabalho e Emprego suspende portaria sobre trabalho no comércio em feriados

Há 5 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais