Brasil

Após deixar isolamento, Bolsonaro participa de manifestação em Brasília

Presidente havia recomendado o cancelamento dos atos em virtude do avanço do coronavírus

Bolsonaro: o presidente fez selfies com manifestantes e live em rede-social (José Cruz/Agência Brasil)

Bolsonaro: o presidente fez selfies com manifestantes e live em rede-social (José Cruz/Agência Brasil)

Janaína Ribeiro

Janaína Ribeiro

Publicado em 15 de março de 2020 às 11h22.

Última atualização em 15 de março de 2020 às 20h49.

Após recomendar o adiamento das manifestações na última quinta-feira, dia 12, com o aumento do número de casos do coronavírus nas principais capitais brasileiras, o presidente Jair Bolsonaro participou das manifestações que ocorrem em Brasília. Em em sua conta no twitter, Bolsonaro também compartilhou vídeos sobre o ato pró-governo neste domingo, 15, e fez uma live em seu perfil no Facebook.

Ao meio-dia, ele deixou o Palácio da Alvorada e seguiu para a Esplanada dos Ministérios via comboio presidencial. Apoiadores do governo seguiram o carro do presidente em uma "passeata", no Eixo Monumental de Brasília rumo ao Estádio Nacional.

Os manifestantes gritavam "Fora Maia" e um deles chegou a pedir que o presidente fechasse o Congresso Nacional. Os apoiadores também criticaram o presidente do STF, Dias Toffoli.

O presidente, que passou a tocar os manifestantes com a mão além de pegar o celular das pessoas para fazer selfies, negou que a manifestação era um ato contra os demais poderes. No entanto, não falou isso diretamente para os apoiadores. "Não é um movimento contra nada, é a favor do Brasil", disse Bolsonaro para câmera do celular. "Juntos podemos mudar o Brasil. Acredito nessa terra maravilhosa que Deus me deu", continuou.

Em alguns momentos, ele chegou a colar o rosto ao de apoiadores para fazer fotos.

Em suas redes sociais, Bolsonaro vem postando, desde a manhã,  vídeos e imagens das manifestações pelo país. Em seu perfil do twitter, às 10h06, foi publicado um primeiro vídeo onde mostra motoqueiros vestindo camisas em alusão ao Brasil em Belém, do Pará. Esse vídeo foi publicado originalmente na conta do deputado federal Éder Mauro (PSD-PA), líder da bancada da bala na região Norte na Câmara dos Deputados, com a hashtag #BolsonaroDay. Mauro tem 39.400 seguidores.

Além do vídeo compartilhado por Bolsonaro, a conta do Twitter do deputado compartilha com os seus seguidores outros três vídeos do ato pró-governo Bolsonaro na capital paraense, num dos quais um grande número de pessoas estavam reunidas em volta de um trio elétrico com bandeiras do Brasil.

Já o segundo compartilhado pelo presidente em sua conta do Twitter, que não é possível identificar a cidade, mostra pessoas em jet-skis navegando por um rio empunhando bandeiras do Brasil.

Um terceiro vídeo foi postado pelo presidente depois das 11h, com uma manifestação acontecendo em Brasília, (DF). Logo depois, também foram compartilhados vídeos nas cidades de Belo Horizonte, Parnaíba, Rio de Janeiro, Maceió, Campinas e Uberlândia.

Apesar do pedido, apoiadores do presidente iniciaram nas redes sociais um movimento "Desculpa, Jair, mas eu vou", convocando a população para as manifestações pró-governo em meio ao risco de disseminação do coronavírus entre os participantes.

Segundo o último levantamento disponibilizado pelo Ministério da Saúde neste sábado, dia 14, o Brasil tem, neste momento, 121 casos confirmados de pessoas com coronavírus, e outros 1,496 mil casos suspeitos. São Paulo lidera o ranking com 65 casos confirmados.

Com Estadão Conteúdo

Acompanhe tudo sobre:BelémBrasíliaCoronavírusGoverno BolsonaroJair BolsonaroPará

Mais de Brasil

Enchentes no RS: cidade gaúcha registra primeira morte por leptospirose

Famílias aptas para receber auxílio reconstrução no RS terão que validar cadastro a partir do dia 27

Rio Grande Sul voltará a enfrentar chuvas fortes e massa de ar polar nesta semana, alerta Inmet

Rio de Janeiro recebe FII PRIORITY Summit com o tema “Investir com Dignidade”

Mais na Exame