No Twitter, Bolsonaro compartilha vídeo criticando isolamento social

Ele vem demonstrando preocupação com as consequências econômicas do novo coronavírus desde seus primeiros comentários sobre o tema

Bolsonaro: No vídeo, o presidente também fala em "colapso econômico" decorrente do fechamento de empresas e comércio (Alan Santos/PR/Flickr)

Bolsonaro: No vídeo, o presidente também fala em "colapso econômico" decorrente do fechamento de empresas e comércio (Alan Santos/PR/Flickr)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 11 de abril de 2020 às 11h41.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, compartilhou na manhã deste sábado, 11, um vídeo de uma entrevista de duas semanas atrás em que critica as medidas de isolamento social adotada por estados e municípios para o controle do coronavírus. "Certas autoridades estaduais e municipais estão tomando medidas, no meu entender, além da normalidade, proibindo tráfego de pessoas, tráfego em rodovias, fechando empresas e fechado comércios", disse Bolsonaro no vídeo.

Ele vem demonstrando preocupação com as consequências econômicas do novo coronavírus desde seus primeiros comentários sobre o tema. Em um dos pronunciamentos em rede nacional mais incisivos até aqui, em 24 de março, o presidente se posicionou contra a quarentena. "Devemos, sim, voltar à normalidade", afirmou na ocasião.

https://twitter.com/jairbolsonaro/status/1248950412989865984

O discurso foi mal recebido, na época, até por apoiadores do presidente, como o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), que rompeu politicamente com ele.

Tentando romper o isolamento político, Bolsonaro tenta agora uma reaproximação com Caiado. No último pronunciamento, em 8 de abril, Bolsonaro jogou a responsabilidade para os governadores e prefeitos.

No vídeo, o presidente também fala em "colapso econômico" decorrente do fechamento de empresas e comércio, com desemprego em massa e falta de recursos para folha de servidores públicos. Segundo ele, se não houver o retorno à normalidade, "dentro de poucos dias" poderá ser "tarde demais" para reverter os efeitos da crise.

"O caos está aí: sem dinheiro e sem produção. O homem do campo também vai deixar de produzir. Vamos viver do quê? Brasileiros acordem para realidade. Se não acordarmos, o caos está vindo: desemprego em massa e o desabastecimento começa a se fazer presente", afirmou o presidente no vídeo.

Na ocasião, o presidente também chamou os brasileiros para a guerra contra o coronavírus. "Espero que o Brasil volte à normalidade e encare o vírus como se fosse uma guerra mas em situação de igualdade, em pé. Se nós nos acovardamos, se formos pelo discurso fácil de todo mundo em casa, será um caos", disse Bolsonaro.

Na postagem deste sábado, Bolsonaro reafirma as declarações feitas recentemente. "Há 2 semanas falei sobre o que poderia acontecer no Brasil, caso se preocupassem apenas com um problema", escreveu o presidente na sua conta oficial do Twitter.

Acompanhe tudo sobre:CoronavírusJair Bolsonaro

Mais de Brasil

Conflitos por terra batem recorde no Brasil no primeiro ano do governo Lula

Cármen Lúcia mantém condenação de Deltan por Power Point contra Lula

Risco fiscal está 'drenando oportunidades' do Brasil, diz Tarcísio

Fluxo de passageiros para o exterior cresce pelo 24º mês seguido mostra Anac

Mais na Exame