Brasil

Nas redes sociais, 34% dos usuários tratam suicídio como piada

No mês de conscientização sobre o suicídio no Brasil, chamado de Setembro Amarelo, os dados incomodam: uma pessoa comete suicídio a cada 45 minutos

Suicídio: no Brasil, uma pessoa tira a própria vida a cada 45 minutos; campanhas focam em mostrar que casos são questão de saúde pública (David McNew/Getty Images)

Suicídio: no Brasil, uma pessoa tira a própria vida a cada 45 minutos; campanhas focam em mostrar que casos são questão de saúde pública (David McNew/Getty Images)

EH

EXAME Hoje

Publicado em 14 de setembro de 2017 às 15h49.

Última atualização em 14 de setembro de 2017 às 15h49.

No mês de conscientização sobre o suicídio no Brasil, chamado de Setembro Amarelo, os dados incomodam: uma pessoa comete suicídio a cada 45 minutos. No mundo, 800.000 pessoas tiram as próprias vidas por ano – e uma em cada seis já cogitaram o suicídio como possibilidade em algum momento. Isso equivale a um suicídio a cada 40 segundos, de acordo com a Organização Mundial de Saúde.

As campanhas de conscientização no Brasil ao longo do mês são promovidas por Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), desde 2015. O objetivo é tratar o problema como questão de saúde pública, que tem tratamento e que pode ser evitada.

Este ano, a agência nova/sb divulgou um estudo sobre o comportamento dos usuários nas redes sociais, quando se fala sobre o assunto. E um dado choca: 34% das pessoas faz piada sobre o assunto nas timelines. O objetivo da agência com a pesquisa é propagar a ideia da comunicação como ferramenta de transformação da sociedade.

Se precisar de ajuda, ligue para o 141 ou acesse o site: www.cvv.org.br.

[infogram url='https://infogr.am/af385ada-e08f-4c51-b45b-ec8864f01789']

Acompanhe tudo sobre:ArrayExame HojeRedes sociaisSuicídio

Mais de Brasil

Gonet diz que 'não faz sentido' proibir delação premiada de presos, proposta em discussão na Câmara

STF tem maioria para derrubar pontos da reforma da Previdência que atingem servidores públicos

CCJ do Senado aprova liberação de cassinos, bingos e jogo do bicho

Mais na Exame