"Não vão nos calar", diz Fabio Porchat sobre ataque a Porta dos Fundos

O humorista reagiu na sua conta do Twitter. Outros integrantes do Porta dos Fundos também se manifestaram sobre o atentado com coquetéis molotov
Fabio Porchat: o grupo Porta dos Fundos foi vítima de ataque criminoso (Porta dos Fundos/Divulgação)
Fabio Porchat: o grupo Porta dos Fundos foi vítima de ataque criminoso (Porta dos Fundos/Divulgação)
A
Agência O Globo

Publicado em 26/12/2019 às 11:03.

Última atualização em 26/12/2019 às 11:17.

Rio — Depois de ter a produtora do Porta dos Fundos atacada por coquetel molotov, na véspera do Natal, os integrantes do grupo de humor reagiram em suas redes sociais. Fabio Porchat disse que não irá se intimidar.

"Não vão nos calar. Nunca! É preciso estar atento e forte", comentou na sua conta no Twitter.

Dois coquetéis-molotov foram lançados contra a fachada do imóvel. O ataque aconteceu às 4 horas da manhã e o caso foi registrado como crime de explosão na 10ª DP (Botafogo).

O fogo foi contido, segundo a assessoria, por um segurança que estava no prédio. Apenas o quintal e a recepção sofreram danos materiais com o ato.

Um grupo que se autodenomina integralista assumiu em vídeo a autoria do atentado, incluindo imagens do vídeo do ataque em outro ângulo daquele já conhecido pela polícia.

Grupos religiosos estão em campanha contra o "Especial de Natal Porta dos Fundos: A primeira tentação de cristo", no ar na Netflix desde 3 de dezembro.

No filme de 46 minutos, Jesus (Gregorio Duvivier) está prestes a completar 30 anos, e é surpreendido com uma festa de aniversário quando voltava do deserto acompanhado do namorado, Orlando (Fabio Porchat). A sátira com um Jesus gay despertou a ira de alguns setores religiosos, que já pediram a censura da produção.