Brasil

Aeroporto de Brasília fica sem combustível e voos são cancelados

Falta de abastecimento ocorre devido a greve dos caminhoneiros contra a alta do diesel

Combustível: aeroporto de Brasília ficou sem as reservas de querosene de aviação na manhã desta sexta-feira (Jonas Oliveira/Placar)

Combustível: aeroporto de Brasília ficou sem as reservas de querosene de aviação na manhã desta sexta-feira (Jonas Oliveira/Placar)

R

Reuters

Publicado em 25 de maio de 2018 às 09h30.

Última atualização em 25 de maio de 2018 às 11h24.

Brasília - O aeroporto de Brasília ficou sem as reservas de querosene de aviação na manhã desta sexta-feira, causando o cancelamento até o momento de quatro voos que partiriam do aeroporto e um que chegaria à capital do país.

Em comunicado, o aeroporto de Brasília informou que as aeronaves que pousarem no terminal e que necessitarem de abastecimento ficarão em solo até que o fornecimento no aeroporto seja normalizado.

O aeroporto recebe em média 20 caminhões de abastecimento por dia. No entanto, nos últimos dias, por causa da greve dos caminhoneiros, apenas 10 caminhões chegaram ao terminal e até as 8h desta sexta-feira não havia registro de entrada de novos caminhões com combustível no terminal.

Os protestos de caminhoneiros contra a alta do diesel continuam nesta sexta-feira em 24 Estados e no Distrito Federal, mesmo após o anúncio na véspera de um acordo entre a categoria e o governo.

Devido ao racionamento de combustível, o aeroporto informou que a American Airlines cancelou de forma preventiva o voo que vinha de Miami e que pousaria no Aeroporto de Brasília às 7h35 desta manhã. Automaticamente o voo que partiria da capital às 21h55 também foi cancelado.

Além do cancelamento deste voo para Miami, outras partidas canceladas até o momento são um voo da Gol com destino a Teresina, um da Latam para Congonhas e um da Azul para Guarulhos.

"Apesar do agravamento da situação, ainda não há previsão de regularização do estoque de combustível. A concessionária aguarda a liberação dos caminhões", informou o aeroporto no comunicado.

Empresas aéreas

As empresas aéreas vêm adotando medidas de contingência na tentativa de minimizar os impactos do racionamento de combustível causado pela manifestação dos caminhoneiros, que estão bloqueando estradas em todo o país desde segunda-feira.

Neste sentido, a Latam informou que os passageiros com partidas, chegadas ou conexões domésticas programadas para esta sexta-feira nos aeroportos de Brasília, Confins (MG), Goiânia, Maceió e Uberlândia podem alterar seus voos sem a cobrança de taxa de remarcação e das diferenças tarifárias da passagem para nova data, sem multas.

A Azul informou que o serviço de ônibus gratuito oferecido aos clientes de e para o aeroporto de Viracopos, em Campinas, está suspenso nesta sexta-feira. Em relação aos voos, a empresa disse que está acompanhando a situação e que teve que realizar alguns cancelamentos nas operações. A empresa também disponibiliza o cancelamento ou remarcação do bilhete para voar até dia 31 de maio para clientes impactados pela greve.

A Gol disse que dois voos foram cancelados nesta manhã em função da greve dos caminhoneiros. Os passageiros impactados poderão remarcar suas viagens, sem a cobrança de taxas e de acordo com a disponibilidade.

Acompanhe tudo sobre:Aeroporto de BrasíliaAeroportosBrasíliaCombustíveisGrevesProtestos no Brasil

Mais de Brasil

El Niño dá lugar a La Niña: saiba como o tempo vai mudar com a chegada desse fenômeno

Com PL do aborto, Brasil teria uma das penas mais duras do mundo para mulheres

Câmara registra recorde de propostas que ganham urgência e pulam etapas de tramitação

Lula chama proposta sobre aborto em debate na Câmara de 'insanidade' e diz que prática é realidade

Mais na Exame