Brasil

Ministério das Cidades ainda busca levantar número de moradias perdidas no Rio Grande do Sul

Pasta afirma que 47 mil residências foram perdidas

Chuvas no Rio Grande do Sul: estado sofre com enchentes e deslizamentos  ( Nelson ALMEIDA/AFP)

Chuvas no Rio Grande do Sul: estado sofre com enchentes e deslizamentos ( Nelson ALMEIDA/AFP)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 4 de junho de 2024 às 17h11.

Tudo sobreEnchentes no RS
Saiba mais

Um mês após o início das enchentes que têm devastado o Rio Grande do Sul, ainda não há um balanço confiável sobre a quantidade de casas perdidas, o que dificulta a articulação de um plano de atendimento a quem ficou sem teto, afirmou, nesta terça-feira, 4, o ministro das Cidades, Jader Filho.

Segundo ele, apenas 77 dos cerca de 400 municípios gaúchos afetados pelas chuvas repassaram ao Ministério os números dos danos sofridos. O balanço parcial é de 47 mil residências perdidas.

Além de faltarem informações da maioria das cidades, o ministro ponderou, ainda, que os dados levantados até aqui por alguns municípios podem estar superestimados. Ou seja: o dado de 47 mil residências perdidas não é seguro.

"A gente tem de ter muita paciência com essas prefeituras, porque elas ainda estão fazendo a defesa das cidades, mas também fazemos um apelo para enviarem informações o quanto antes puderem", disse Filho.

"É muito importante para que a gente possa, por exemplo, fazer o pedido do crédito extraordinário, entender os valores, a quantidade de unidades habitacionais e quais são as soluções", explicou o ministro durante entrevista coletiva à imprensa.

Na semana passada, o governo federal anunciou que comprará imóveis para repassar às famílias que ficaram sem moradia. Na largada, a previsão é de aquisição de 2 mil habitações voltadas, inicialmente, para Porto Alegre e para a região metropolitana.

Nesta semana, será publicada uma portaria do Ministério das Cidades permitindo que a Caixa Econômica Federal possa receber propostas de aquisição de imóveis usados tanto de imobiliárias, quanto de pessoas físicas, adiantou o ministro.

Jader Filho voltou a dizer que as ações do Ministério das Cidades incluem a aquisição e a reconstrução de moradias, leilões, novas seleções do Minha Casa Minha Vida (MCMV), entre outras medidas. "Não há uma solução única", enfatizou.

O ministro concedeu entrevista aos jornalistas após participar de evento com empresários do mercado imobiliário organizado pela Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), em São Paulo.

Acompanhe tudo sobre:Enchentes no RSRio Grande do Sul

Mais de Brasil

Governo diz que concessionária seguirá operando Aeroporto Salgado Filho

Caso Marielle: Moraes autoriza inquérito contra irmãos Brazão e Rivaldo por suspeita de obstrução

Chuvas no RS: nível do Guaíba deve atingir cota de inundação nesta quarta-feira, aponta IPH

Mais na Exame