Acompanhe:

Michel Temer cumprimenta vitória de Lula nas urnas e fala em "unidade do país"

Pelo Twitter, Temer disse que "as eleições se processaram democraticamente" e que "agora é hora de paz, equilíbrio e sensatez"

Modo escuro

Continua após a publicidade
Temer foi vice da ex-presidenta Dilma Rousseff (PT), até assumir a Presidência, em 2016, quando ela sofreu impeachment (Amilcar Orfali / Correspondente/Getty Images)

Temer foi vice da ex-presidenta Dilma Rousseff (PT), até assumir a Presidência, em 2016, quando ela sofreu impeachment (Amilcar Orfali / Correspondente/Getty Images)

E
Estadão Conteúdo

Publicado em 31 de outubro de 2022 às, 16h54.

Última atualização em 31 de outubro de 2022 às, 17h01.

O ex-presidente Michel Temer (MDB) cumprimentou o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pela sua vitória nas urnas neste domingo, 30. O petista venceu a disputa eleitoral com mais de 60,3 milhões de votos (50,9%), enquanto o presidente Jair Bolsonaro (PL) saiu derrotado, com 49,1%.

Pelo Twitter, Temer disse que "as eleições se processaram democraticamente" e que "agora é hora de paz, equilíbrio e sensatez". "O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva, a quem cumprimento pela vitória eleitoral, fez ontem no seu discurso pregação pela unidade do País, o que tenho sustentado ao longo do tempo em obediência à Constituição Federal. Que os brasileiros se unam nesse propósito", afirma, em publicação na rede social, nesta segunda-feira, 31.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia.

Temer foi chamado de "golpista" por Lula no último debate televisivo transmitido pela Rede Globo, na última sexta-feira, 28. Em resposta, o ex-presidente respondeu, no último sábado, 29 que "na verdade o que aconteceu no Brasil foi um 'golpe de sorte'". Os dois chegaram a ensaiar uma aproximação no 1° turno por meio de interlocutores, mas as declarações duras do petista afastaram uma aliança.

Durante a campanha, Temer se manteve neutro, ao contrário de sua filha, Luciana Temer, que declarou voto em Lula pelas redes sociais. Na publicação, ela defendeu o pai e chamou os ataques de "descabidos", mas diz que o "modelo de sociedade" em que acredita não é possível em um governo de Jair Bolsonaro (PL).

Temer foi vice da ex-presidenta Dilma Rousseff (PT), até assumir a Presidência, em 2016, quando ela sofreu impeachment. Ele também foi coordenador da equipe de transição entre o governo de Lula e Dilma, em 2010.

LEIA TAMBÉM: 

Últimas Notícias

Ver mais
Lula participa de celebração do Dia do Exército em novo aceno aos militares
Brasil

Lula participa de celebração do Dia do Exército em novo aceno aos militares

Há 6 horas

Eleição na Índia: maior votação do planeta começa nesta sexta; entenda o processo
Mundo

Eleição na Índia: maior votação do planeta começa nesta sexta; entenda o processo

Há 10 horas

Volta do DPVAT: Senado pode votar projeto sobre seguro obrigatório para veículos na semana que vem
Brasil

Volta do DPVAT: Senado pode votar projeto sobre seguro obrigatório para veículos na semana que vem

Há 12 horas

Petrobras vai apresentar ao governo proposta de apoio à indústria naval, diz Prates
Economia

Petrobras vai apresentar ao governo proposta de apoio à indústria naval, diz Prates

Há 14 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais