Acompanhe:

Maia diz que processo de cassação de Maluf tramita dentro do prazo legal

Presidente da Câmara disse nesta quarta-feira que não sabia quando o caso seria debatido pela cúpula da Casa

Modo escuro

Continua após a publicidade
Paulo Maluf: deputado foi condenado pelo STF a sete anos, nove meses e dez dias de prisão em regime fechado por crimes de lavagem de dinheiro (Adriano Machado/Reuters)

Paulo Maluf: deputado foi condenado pelo STF a sete anos, nove meses e dez dias de prisão em regime fechado por crimes de lavagem de dinheiro (Adriano Machado/Reuters)

E
Estadão Conteúdo

Publicado em 25 de abril de 2018 às, 20h47.

Após quatro meses, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) defendeu nesta quarta-feira, 25, que não há "nenhum atraso" em relação ao processo de cassação do deputado Paulo Maluf (PP-SP), preso em regime domiciliar por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF). Segundo ele, o processo tramita dentro do prazo legal. "O direito de defesa não pode ser suprimido de ninguém", disse.

Em dezembro, quando Maluf foi preso, o STF determinou que caberia à Mesa Diretora da Câmara decidir pela cassação do mandato do deputado. Maia afirmou que respeitaria a decisão judicial, mas, até agora, o mandato de Maluf continua intacto.

No fim de março, o presidente da Câmara afirmou à Coluna do Estadão que o processo seria enviado pela Corregedoria à Mesa "nos próximos dias".

Nesta quarta-feira, ele disse, pouco antes de dar início a uma reunião da Mesa, que não sabia quando o caso seria debatido pela cúpula da Casa.

Paralelamente ao processo que deve ser analisado pela Mesa, o Conselho de Ética da Câmara instaurou uma ação contra Maluf por quebra de decoro. A diferença é que a decisão sobre a cassação do mandato do deputado, neste caso, não seria analisado pela cúpula da Casa, e sim por todo plenário.

O deputado foi condenado pelo STF a sete anos, nove meses e dez dias de prisão em regime fechado por crimes de lavagem de dinheiro. De acordo com a denúncia, enquanto era prefeito de São Paulo (1993 a 1996), Maluf ocultou e dissimulou dinheiro desviado da construção da avenida Água Espraiada (atualmente chamada de avenida Roberto Marinho).

Outro caso

Maia também afirmou que vai analisar esta semana o caso de outro parlamentar preso, o deputado João Rodrigues (PSD-SC). No último dia 12, a Vara de Execuções Penais do Distrito Federal negou o pedido do deputado para voltar a frequentar as sessões da Câmara.

Rodrigues está preso no Centro de Detenção Provisória da Papuda, condenado a cinco anos e três meses de reclusão em regime semiaberto. Ele responde por fraude em licitação, por um caso de 1999, quando era prefeito em exercício de Pinhalzinho e autorizou a compra de uma retroescavadeira.

 

Últimas Notícias

Ver mais
PL da reoneração da folha enviado pelo governo entra no sistema da Câmara
Brasil

PL da reoneração da folha enviado pelo governo entra no sistema da Câmara

Há 5 horas

Câmara aprova tarifa social com novos descontos em água e esgoto para baixa renda
Brasil

Câmara aprova tarifa social com novos descontos em água e esgoto para baixa renda

Há 6 horas

Aguinaldo diz que PEC da Tributária já garante que leis complementares sejam 'autoaplicáveis'
Economia

Aguinaldo diz que PEC da Tributária já garante que leis complementares sejam 'autoaplicáveis'

Há 11 horas

Câmara aprova urgência de projeto de lei sobre segregação patrimonial em corretoras cripto
Future of Money

Câmara aprova urgência de projeto de lei sobre segregação patrimonial em corretoras cripto

Há 16 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais