Brasil
Acompanhe:

Lula registra visita a FHC e fala em 'reencontro democrático'

O encontro aconteceu na residência de FHC depois de um ato público entre Lula e a senadora Simone Tebet (MDB), que também declarou voto no petista

Lula e FHC: O encontro acontece dois dias após o tucano declarar voto no petista no segundo turno das eleições presidenciais (Ricardo Stuckert/Twitter Lula/Reprodução)

Lula e FHC: O encontro acontece dois dias após o tucano declarar voto no petista no segundo turno das eleições presidenciais (Ricardo Stuckert/Twitter Lula/Reprodução)

E
Estadão Conteúdo

Publicado em 7 de outubro de 2022, 21h12.

O candidato à Presidência pelo PT, Luiz Inácio Lula da Silva, visitou nesta sexta-feira, 7, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB). O encontro acontece dois dias após o tucano declarar voto no petista no segundo turno das eleições presidenciais.

"Um reencontro democrático com @FHC", escreveu Lula nas redes sociais. Na última quarta-feira, FHC justificou seu voto pelo Twitter. "Neste segundo turno voto por uma história de luta pela democracia e inclusão social. Voto em Luiz Inácio Lula da Silva" afirmou.

LEIA TAMBÉM:

O encontro aconteceu na residência de FHC depois de um ato público entre Lula e a senadora Simone Tebet (MDB), que também declarou voto no petista. Na reunião, ambos posaram para a foto vista como trunfo pela campanha do ex-presidente.

Nesta semana, além de FHC, Lula recebeu apoio de economistas que participaram da elaboração do Plano Real, como Persio Arida e Armínio Fraga. Todos justificaram a defesa da democracia como motivo de endosso ao PT no segundo turno.

A campanha de Lula prepara um evento em São Paulo para reunir todos esses novos apoiadores, incluindo os economistas e tucanos. Não há, no entanto, data definida. O ex-presidente aposta no fortalecimento dessa frente ampla contra o presidente Jair Bolsonaro (PL), candidato à reeleição. Na propaganda de TV desta sexta-feira, ele explorou imagens e declarações de novos apoios que conquistou neste segundo turno.

LEIA TAMBÉM: 

Lula sobre ministérios: 'Se ainda não ganhou, não pode sentar na cadeira'