Brasil

Lula reforça importância da imunização nacional como gesto de responsabilidade

O chefe do Executivo disse que o gesto da tarde desta segunda não é apenas para dizer que o País terá vacina para toda a população e nos postos de saúde

Lula: presidente também enfatizou respeito aos trabalhadores do SUS durante a pandemia (Ricardo Stuckert/ Lula/ twitter/Reprodução)

Lula: presidente também enfatizou respeito aos trabalhadores do SUS durante a pandemia (Ricardo Stuckert/ Lula/ twitter/Reprodução)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 27 de fevereiro de 2023 às 19h52.

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, reforçou a importância da imunização nacional como um gesto de responsabilidade para com a sociedade. Ao afirmar que não querer tomar a vacina "é um direito de qualquer um", ele destacou que a imunização é um gesto de garantia à população.

"Não querer tomar vacina é um direito de qualquer um, mas tomar vacina é um gesto de responsabilidade, de muita garantia que você vai passar pela sua família", disse o presidente, em ato de lançamento da Mobilização Nacional pela Vacinação na tarde desta segunda-feira, 27.

Ele também citou a importância de tomar a vacina contra o sarampo e a paralisia infantil.

O chefe do Executivo disse que o gesto da tarde desta segunda não é apenas para dizer que o País terá vacina para toda a população e nos postos de saúde. "Mais importante do que isso, é a gente ter consciência de que o Brasil já foi o País campeão mundial de vacinação", comentou, retomando o histórico de imunização nacional nos governos petistas.

A iniciativa lançada nesta segunda-feira prevê ações para ampliar as coberturas de todas as vacinas disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS).

Nessa primeira etapa, a imunização contra a covid-19 terá reforço para os grupos prioritários em todo o País.

Diante da polarização que a vacinação ganhou durante a corrida presidencial, Lula fez um apelo às famílias para que não acreditem no negacionismo, "nas bobagens que se fala sobre a vacina". "Você pode até não gostar de você e não querer tomar vacina, mas você tem obrigação de gostar do seu filho, da sua filha, da sua mãe, do seu pai, e é importante a gente garantir que as pessoas tomem vacina para evitar desgraças maiores na vida da gente", comentou, sob aplausos. "Se tiver vacina, vá lá tomar, porque é a única garantia que você tem de não morrer por falta de responsabilidade, é uma garantia de vida", declarou.

Lula foi vacinado nesta segunda-feira com a quinta vacina contra a covid-19, que foi aplicada pelo vice-presidente da República, Geraldo Alckmin. "Tomei minha quinta vacina, se tiver a sexta, vou tomar, se tiver a sétima, vou tomar. Eu tomo vacina porque gosto da vida, porque a vida é o dom maior que Deus me deu", disse. E brincou: "Tomem a vacina, não tenham medo do Zé Gotinha ele significa só amor."

'Pelo amor de Deus, não sejam irresponsáveis, se tiver vacina, vá lá tomar vacina, porque é a única garantia que você tem de não morrer por falta de responsabilidade", pediu o presidente da República em apelo.

No discurso, Lula enalteceu a ministra da Saúde, Nísia Trindade. Segundo ele, o País conta agora com uma ministra preocupada com a saúde. "O histórico dela fez com que a gente acreditasse que o Brasil precisava de uma personalidade com o caráter dela, compromisso dela e conhecimento dela", afirmou.

Ele também enfatizou respeito aos trabalhadores do SUS durante a pandemia.

Acompanhe tudo sobre:Luiz Inácio Lula da SilvaSUSvacina contra coronavírusVacinas

Mais de Brasil

Remessas de até US$ 50 batem recorde e chegam a 16,6 milhões antes de volta da taxação

Irmã de Juscelino Filho também é indiciada pela PF em inquérito sobre suposto desvio de emendas

O que diz o projeto de lei que equipara aborto após a 22ª semana a homicídio

Previsão do tempo Campo Grande: fim de semana terá clima quente e estável

Mais na Exame