Brasil

Lula é eleito uma das 100 pessoas mais influentes de 2023 pela revista Time

Brasileiro aparece em lista ao lado de nomes como o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e o primeiro-ministro alemão, Olaf Scholz

Lula foi capa da revista Time em 2022 (TIME/Reprodução)

Lula foi capa da revista Time em 2022 (TIME/Reprodução)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 13 de abril de 2023 às 13h11.

Última atualização em 13 de abril de 2023 às 16h16.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi eleito uma das 100 pessoas mais influentes do mundo pela revista americana 'Time'. Na publicação divulgada nesta quinta-feira, o petista foi relacionado na categoria de "líderes", ao lado de nomes como o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, o primeiro-ministro alemão, Olaf Scholz, o presidente da Colômbia, Gustavo Petro, e a primeira-dama da Ucrânia, Olena Zelenska.

O texto que explica a escolha de Lula é assinado pelo ex-vice presidente dos EUA, Al Gore. Nele, o político afirma que, "depois de anos de destruição de degradação ambientais endossada pelo estado, a população brasileira escolheu um novo caminho, elegendo um campeão climático".

Al Gore também afirmou que Lula renovou os compromissos do Brasil com a democracia, a justiça e com políticas econômicas igualitárias, mas que não há área onde ele pretende impactar mais do que nas crises do clima e da biodiversidade.

O texto ressalta o compromisso de Lula de preservar a Amazônia e lembra resultados de suas gestões anteriores, afirmando que ele reduziu o desmatamento em 72% no passado.

"A liderança do presidente Lula será fundamental nesta década decisiva para a ação climática", afirmou Al Gore no texto.

Lula havia sido capa da Time em 2022

Lula já havia tido destaque na Time em 2022, quando foi capa da publicação no mês de maio. À época, pré-candidato e então líder nas pesquisas eleitorais para presidente, Lula falou sobre as expectativas para a eleição e temas como a guerra na Ucrânia.

Em uma das declarações mais questionadas sobre a guerra naquela ocasião, Lula afirmou que o presidente do país europeu, Volodymyr Zelensky, era "tão responsável quanto" o presidente russo, Vladimir Putin, pelo conflito.

"Às vezes, fico vendo o presidente da Ucrânia na televisão como se estivesse festejando, sendo aplaudido em pé por todos os parlamentos, sabe? Esse cara é tão responsável quanto o Putin. Ele é tão responsável quanto o Putin. Porque numa guerra não tem apenas um culpado. O Saddam Hussein era tão culpado quanto o Bush. Porque o Saddam Hussein poderia ter dito: ‘Pode vir aqui visitar e eu vou provar que eu não tenho armas’", falou Lula na entrevista, quando disse ainda que Zelensky estava se achando o "rei da cocada".

Os 15 líderes mais influentes do mundo, segundo a Times

  • Fumio Kishida, primeiro-ministro do Japão
  • Anthony Albanese, primeiro-ministro da Austrália
  • Bola Tinubu, novo presidente da Nigéria
  • Olena Zelenska, mulher do presidente ucraniano
  • Gustavo Petro, presidente da Colômbia
  • Hakeem Jeffery, líder dos Democratas no Congresso
  • Janet Yellen, secretária do Tesouro dos Estados Unidos
  • Sherry Rehman, ministra para as Mudanças Climáticas do Paquistão
  • Mitch McConnell, senador republicano e líder mais longevo no Legislativo dos EUA
  • Margrethe Vestager, comissária da União Europeia para a Transição Digital
  • Samuel Alito, juiz da Suprema Corte dos Estados Unidos
  • Gina Raimondo, secretária de Comércio dos EUA
  • Olexandra Viatcheslavivna Matviitchuk, advogada ucraniana de direitos humanos
  • María Herrera Magdaleno, ativista mexicana que se dedica a encontrar pessoas desaparecidas
  • Min Aung Hlaing, chefe das Forças Armadas de Mianmar

(Com Agência O Globo)

Acompanhe tudo sobre:Luiz Inácio Lula da SilvaRevista Time

Mais de Brasil

Enel confirma a Lula investimento de R$ 20 bi para acabar com apagões

Enchentes paralisaram 63% das indústrias gaúchas, revela pesquisa

Prejuízos com chuvas no RS superam R$ 12 bilhões; setor habitacional é o mais afetado

Presidente do Solidariedade, alvo de operação da PF, se entrega em Brasília

Mais na Exame