Brasil

Lula e Biden conversam por telefone nesta quarta-feira; veja o que deve ser falado

Segundo Palácio do Planalto, contato acontecerá no fim da manhã

Lula e Biden: expectativa é que o contato telefônico reaproxime os líderes. (Ricardo Stuckert/PR/Flickr)

Lula e Biden: expectativa é que o contato telefônico reaproxime os líderes. (Ricardo Stuckert/PR/Flickr)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 16 de agosto de 2023 às 06h44.

Os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e o americano Joe Biden conversarão por telefone, no fim da manhã desta quarta-feira, segundo o Palácio do Planalto. A expectativa é que o contato telefônico reaproxime os líderes dos dois maiores países do hemisfério e promova avanços na agenda bilateral,.

De acordo com um integrante do governo brasileiro ouvido pelo GLOBO, os temas a serem abordados fazem parte de uma agenda bilateral densa, como uma parceria pelo trabalho decente, o aquecimento global, cooperação em áreas diversas e a guerra na Ucrânia.

Lula e Biden vão conversar sobre um encontro bilateral que deverá acontecer em setembro, paralelamente à Assembleia Geral da ONU, em Nova York. Também deve entrar na pauta, ainda, uma possível visita do presidente dos EUA ao Brasil, em 2024, quando as relações entre os dois países completam 200 anos.

Existe, ainda, a expectativa de os dois mandatários falarem sobre a Cúpula do Brics (bloco formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), que acontecerá na semana que vem, na cidade sul-africana de Joanesburgo. Os EUA têm como desafetos os presidentes da China, Xi Jinping, e da Rússia, Vladimir Putin.

Representado pelo chanceler Sergey Lavrov, Putin estará ausente do evento. Ele corre o risco de ser preso, sob a acusação de crimes de guerra cometidos contra a população da Ucrânia.

Em abril deste ano, Lula criticou duramente os Estados Unidos e a União Europeia, que estariam incentivando a guerra entre Rússia e Ucrânia, em vez de incentivar a paz. As declarações de Lula irritaram Washington que, depois de reclamar, optou por refoçar a importância dada pela Casa Branca ao Brasil e enviou altas autoridades ao país, entre as quais o chefe da Nasa, Bill Nelson, e a subsecretária de Estado para assuntos políticos, Vitoria Nuland.

Em fevereiro deste ano, logo depois de tomar posse, Lula esteve em Washington para uma reunião com Biden. A democracia, especialmente na América Latina, os compromissos para mitigar os efeitos das mudanças climáticas, o combate às "fake news" e a paz mundial foram abordados no encontro entre os dois presidentes.

Acompanhe tudo sobre:Luiz Inácio Lula da SilvaGoverno BidenJoe Biden

Mais de Brasil

Em Porto Alegre, Defesa Civil alerta para risco de novos temporais com ‘ventos intensos’ e granizo

Ministério da Saúde amplia vacinação contra dengue; veja nova faixa etária

Reviravolta em julgamento sobre 'sobras eleitorais' pode anular eleição de sete deputados; entenda

Privatização da Sabesp será concluída em 22 de julho; veja os mais cotados para vencer a disputa

Mais na Exame